ANUNCIE AQUI!
18/05/2011

“Prefeitura finge que paga e funcionários fingem que trabalham” Professora fica indignada com declarações de vereador

As declarações de mais um vereador foram contestadas nesta semana. Além da entrevista do presidente da Câmara de Osvaldo Cruz, Homero Morales Massarente (PP), no caso do carro de luxo, comprado pela Câmara e envolvido num acidente, agora foi a vez do ex-presidente da Câmara de Bastos (547 km da capital paulista) na Nova Alta Paulista, Marcio Venturoso de Souza (PT) provocar indignação dos funcionários da prefeitura.
Ao votar contra projeto de Lei de autoria do executivo que alterava a referência de piso básico de salários para algumas categorias comentou ao discursar da tribuna “a prefeita Virginia Fernandes (PSDB) finge que paga e os funcionários fingem que trabalham”, observou o parlamentar.
A professora da rede municipal identificada pelas iniciais V.P.C., há 9 lecionando em Bastos disse que se sentiu ofendida. “Ele deveria apontar quais são os servidores que fingem trabalhar. Eu me senti ofendida e a fala do vereador foi desagradável”. Segunda ela, Márcio Venturoso de Souza foi infeliz e, garantiu que assim como ela, outros funcionários se sentiram humilhados.
Já o motorista de ambulância Paulo Manoel Alves Filho, “Paulo Garçom” foi enfático: “Eu trabalho durante toda minha carga horária e ainda permaneço de plantão praticamente 24 horas por dia e, se ele (Márcio) diz que o servidor público finge que trabalha, por certo, ele finge que legisla, porque nunca o vi na repartição pública que exerço minha profissão, fiscalizando ou ao menos reivindicando qualquer coisa para beneficiar um cidadão de Bastos”, afirmou Filho.
Márcio Venturoso de Souza (PT) pode ter o direito de falar da tribuna como vereador, mas perdeu a imunidade diante da opinião do funcionalismo e da opinião pública.

Áudio:

Ouça aqui o discurso da discórdia