ANUNCIE AQUI!
17/07/2011

Infiéis II: PSDB quer Donadelli candidato a prefeito, mas não quer vice do PV

Como já informamos aqui neste blog, o PSDB prepara um grande “ato” para a filiação de César Donadelli (PV), no partido do PSDB, mas não quer nem saber do fato de que o vice seja do PV. Já comentamos também que, a principio se imaginou numa dobradinha Donadelli e o suplente de deputado federal, Evandro Gussi (PV).

Depois da matéria publicada aqui, o cacique do PSDB em Tupã, o prefeito Waldemir Gonçalves Lopes (PSDB) entendeu que existiria mesmo um risco, lançar numa dobradinha, dois candidatos da elite, sem prestígio popular e com discurso pouco iluminado. Principalmente se a disputa fosse com o ex-prefeito Manoel Gaspar (PSC).

Apesar de não ser possuidor de um discurso sensibilizador, Gaspar levaria vantagem sobre os dois pelo fato de já ter sido prefeito de Tupã, considerado um divisor de águas entre a era Carlos Eduardo Abarca e Messas (PTB) e Jesus Guimarães (PMDB) e, ter feito o sucessor, no caso o atual prefeito.

Infidelidade à parte, a verdade é que apesar da preocupação com, o fato do vice-prefeito deixar o PV e ir para o PSDB, talvez não tivesse problema quanto à falta de fidelidade se o vice a candidato à prefeitura de Tupã, também viesse do Partido Verde. Acontece que Waldemir não quer.

Seria correr risco de mais, lançar uma chapa com apoio irrestrito do PSDB com candidato a prefeito e vice, além de inexperientes, possuírem pouca penetração na classe eleitoral. Diferentemente do próprio professor Waldemir, conhecido à época como “Waldemir da Camap”, mas que tinha apoio de alguém que elegeria “qualquer” candidato que apoiasse.

Diferentemente de Waldemir que também não é popular, é acusado de ser truculento e desrespeitador dos direitos da classe trabalhadora, mas que indiscutivelmente, conseguiu colocar em pratica parte do Programa de Governo elaborado pela equipe de Manoel Gaspar (quanto ao embelezamento da cidade).

No mais, foi muito questionado, responde há vários processos administrativos; têm sido omisso; submisso e tem faltado com a probidade administrativa, no que concerne ao discurso que apregoava.

Exatamente por tudo isso, entende Waldemir, não pode correr risco. Está em risco, todo o possível questionamento que suas duas administrações venham sofrer. Nesse caso, é preciso ter alguém para defendê-lo e neste caso, pode ser até o atual vice-prefeito, por falta de outro nome.

Até que tem outros nomes. O sócio. O sócio do sócio, mas seria correr ainda mais riscos. E, depois, além de ser ex-secretário da Saúde e vice-prefeito, César Donadelli também tem sido nos últimos anos, “conselheiro” e médico “particular” do prefeito Waldemir Gonçalves Lopes.

Então, se verificarmos essa proximidade, eles são fiéis à infidelidade, seja pessoal, partidária ou quanto aos seus apoiadores, seja PSDB e Manoel Gaspar ou PV e Evandro Gussi.