ANUNCIE AQUI!
15/09/2011

Crime da Rua Tapajós: Polícia de Tupã procura por dois ex-funcionários do empresário

Depois de mais de um mês do banho de sangue promovido pela Polícia de Tupã, na tentativa de evitar um suposto seqüestro do empresário dono da Incoferaço e da empreiteira Millenium, ela ainda caça outros dois possíveis envolvidos no caso.

A ação culminou com a morte do policial civil, Laurindo Armando dos Santos, 43 anos e de dois outros criminosos que já teriam praticado vários roubos na cidade.

A Polícia acredita que os envolvidos no esquema todo perpetrado contra o empresário Claudionei sejam até sete, mas ao menos três outros dois estariam foragidos.

Um terceiro, acusado de ter passado informações sobre a rotina financeira do empreiteiro estaria preso por outros crimes; um quarto, também já foi ex-funcionário da vítima e também teria subsidiado os mortos com informações. Este e o quinto, continuam foragidos.

Enquanto isso, nenhum desdobramento sobre o crime surgiu e nem a Polícia, através do delegado Seccional, Luiz Antonio Hauy, teve interesse de informar, dada as circunstâncias de como tudo aconteceu.

Na verdade, se falasse o que realmente aconteceu, colocaria ainda mais em xeque o trabalho comandado por ele. Também não há nenhuma informação se haverá ou não reconstituição do crime que vitimou o policial.

Até hoje, ninguém conseguiu entender, como sete policiais armados, preparados, esperavam apenas dois e tudo deu errado. Teria havido ajuda de policiais militares que complicaram ainda mais a ação com a possível pratica de transgressão.

Já a principal o policial civil pode ter sido alvejado por “fogo amigo” e por uma arma de grosso calibre que rompeu parte do braço do ex-carcereiro, mesmo estando com colete à prova de bala.

Ele até teria dirigido a camionete do empresário para chegar ao imóvel se passando pelo empreiteiro e servindo de “isca” para a ação mais infeliz que a Polícia Civil de Tupã já realizou.

O empresário havia sido retirado momentos antes do suposto seqüestro. Até aí ia tudo bem. Através de escutas telefônicas, descobriu-se a tentativa, para em seguida, na fatídica noite do dia 9 de agosto, corpos foram encontrados pela cidade.

A participação de dois ex-funcionários do “Nei da Incoferaço”, como ele é conhecido o empreendedor, aconteceu também por culpa da vítima. Segundo informações apuradas pela Polícia e pelo Blog, o cidadão seria vaidoso.

Gostaria de mostrar para algumas pessoas que apesar de ser chamado de “quebrado”, possuiria possíveis bens e abrindo o cofre, mostraria até para funcionários que tinha dinheiro no cofre. Pode ter sido essa também a razão por ter sido roubado dias antes em cerca de R$ 50 mil.

Também, pode ter colaborado para fazer crescer contra si, um possível seqüestro. A bem da verdade, ser exibicionista não dá direito de ninguém praticar furto, roubo ou seqüestro.

É como diz a Polícia, cada um precisa fazer sua parte. A Polícia não tem bola de cristal e, mesmo quando se antecipa tudo pode dar errado. Não é bom contar com a sorte.