ANUNCIE AQUI!
29/09/2014

Tupã corre o risco de ficar sem transporte coletivo após as eleições

Nenhuma empresa participou da licitação mesmo com subsídio de R$ 25 mil/mês.

circular pompéia

A situação do transporte coletivo em Tupã não está fácil. Mais uma vez nenhuma empresa se interessou em realizá-lo e o contrato temporário com uma empresa de Pompeia vence em novembro. Mesmo com um subsídio aprovado pela Câmara de Tupã em abril – nem a empresa provisória tem interesse em continuar. Sequer também teria participado da licitação.

Pior que isso, segundo as informações a empresa estaria contraindo prejuízos e, por isso, teria comunicado o prefeito Manoel Gaspar (PMDB) que iria reduzir o número de ônibus para atender o município. Apenas dois no perímetro urbano e um para o distrito de Varpa. Temendo a repercussão negativa às vésperas das eleições, Gaspar teria determinado que a empresa segurasse até a semana que vem.

A empresa tinha pretensão de cortar pela metade já a partir desta quarta-feira (1), mas a decisão foi postergada para a próxima semana. Já a partir de novembro o serviço só será realizado se o município tiver condições de fazê-lo por conta própria.

Mais uma vez a promessa de mudar itinerário para melhorar atendimento não emplacou. Já o projeto de realizar um transporte coletivo de primeiro mundo com a Cooper Brasil foi um verdadeiro fiasco e fez o usuário sentir saudade da empresa Guerino Seiscento que durante três décadas o fez como sempre quis. Também sem nenhuma respeito ao usuário e em desrespeito ao contrato firmado com a Prefeitura.

Como alternativa, na sessão da Câmara desta segunda-feira (29) o vereador de oposição Luís Alves de Souza (PC do B) pretende apresentar em plenário uma proposta para a Prefeitura assumir o serviço. Mas em crise financeira dificilmente a ideia irá prosperar.

Atualmente o valor do subsídio se fixa em R$ 25.000,00 (vinte e cinco mil reais) mensais, atingindo R$ 225.000,00 (duzentos e vinte e cinco mil reais) no fluente exercício, devendo o Poder executivo consignar nos orçamentos subsequentes, dotação que assegure a satisfação da despesa ora autorizada.

A proposta do parlamentar oposicionista é semelhante à de Penápolis que também viveu um drama para resolver a questão e a saída foi o próprio município realizá-lo. Hoje a tarifa de ônibus circular em Tupã custa R$ 2,60.

Leia Também: 

Crise no transporte público de Tupã: Cooper Brasil ameaça abandonar o serviço

Vereador chama empresário do transporte público em Tupã de bandido e critica administração do “bem”