ANUNCIE AQUI!
12/02/2015

Liga-bingo: pendências na Receita Federal podem inviabilizar competições da LMTF

O “amigo” do jogo chutou a bola em posição irregular e deixou o companheiro na linha de impedimento.

Sede da LMTF no "Alonsão"

Sede da LMTF no “Alonsão”

Como consequência de um jogo de “mal feitos” a Liga Municipal Tupãense de Futebol (LMTF) fica impossibilitada de obter uma Certidão Negativa. A exigência da Certidão de Débitos Trabalhistas CNDT, serve para a participação de empresas e pessoas físicas em licitações. Sem o documento a Liga ficará sem receber repasses mensais da Prefeitura no valor de R$ 7.900,00.

Sem os valores a Liga não consegue viabilizar os campeonatos amadores em 2015 e, nesse caso, sobrará para a Secretaria de Esportes promover as competições. O responsável pela pasta, Ricardo Amado de Freitas Alves acredita que a entidade ainda poderá viabilizar o documento. Se não conseguir a prefeitura vai ter que realizar os campeonatos.

ALÔ AMIGOS

Os fantasmas do passado voltam a assombrar o futebol amador de Tupã e pesa como mais uma herança na “cruz” da Administração de Manoel Gaspar (PMDB). A herança é fruto dos “amigos” do atual Governo Municipal. São os mesmos que também eram “amigos” do ex-prefeito Waldemir Gonçalves Lopes (PSDB). Hoje, Waldemir admite “que se tivesse ouvido o blog não estaria com tantos problemas na Justiça” e acredita até que o atual prefeito está seguindo o mesmo trajeto que o levou ao calvário.

A cruz pode ser a mesma, mas o lombo afixado nela já é outro. Enquanto isso, os “amigos” gozam de prestigio e aparecem como os “criadores de facilidades”. Mas, a bola é murcha e o chute quase sempre é para fora. Bingo. Os efeitos dos desmandos e desvio de dinheiro público na Liga administrada à época por Cláudio Machado Gomes, “Banana”, tinha respaldo político do ex-presidente da Câmara, Antônio Alves de Sousa, “Ribeirão” (PP).

O Banana foi responsabilizado inclusive por ser o “controlador” do Bingo Tupã, através da LMTF. A jogatina funcionava no prédio da Casa de Portugal. Na Polícia Federal, o ex-presidente da entidade assumiu toda a responsabilidade. Pagou por tudo. Foi laranja de um jogo de azar para a sorte de terceiros. Na casa de jogo foi apreendido até um computador pertencente à Câmara de Tupã.

Na semana passada Ribeirão contestou o blog por ter dado destaque sobre um fato em que ele e o ex-presidente da Liga estiveram envolvidos seja de forma direta ou indireta. Contra fatos não há argumentos. O fato é que até hoje, após aquelas denúncias investigadas pela Policia Civil de Tupã, Ministério Público e Polícia Federal, o futebol amador de Tupã continua sendo uma “bola presa” no globo do bingo. Precisa ser libertado à “lava jato” das amarras do passado.