ANUNCIE AQUI!
17/02/2015

Carnaval 2015: Ribeirão fez folia com o dinheiro do contribuinte

A Prefeitura divulgou que o Tupã Folia 2014, não teve nenhum patrocinador devido ao curto espaço de tempo para realização da festa: exatamente um ano depois do Carnaval de 2013. Em contrapartida, Ribeirão comandou gastos de mais de R$ 3 milhões, em 365 dias.

Ribeirão dormindo

O Tupã Folia 2015 termina na madrugada desta quarta-feira de cinzas (18). Os foliões irão amanhecer de ressaca e com o gosto amargo da bebida de fim de festa. Até 2016, ano eleitoral, vamos ver o que vai mudar na estratégia dos organizadores do evento. Se terão tempo para viabilizar patrocinadores, se o vereador Antonio Alves de Sousa, “Ribeirão” (PP) continuará com sua sede de dinheiro e poder, ou se prevalecerá a vontade do prefeito Manoel Gaspar (PMDB).

Porque, de 2013 a 2015, o que se viu foi o mesmo discurso: o Carnaval tupãense vai ter patrocinador. Sem Carnaval Tupã deixa de ser Estância Turística. Tirar um R$ 1 milhão para o Carnaval não significa nada, dentro de um orçamento de R$ 130 milhões. Falácia do vereador  Ribeirão.

Em 2014, a Secretaria de Turismo comandada pelo parlamentar gastou mais de R$ 1,4 milhão para promover o Tupã Folia. Com dinheiro é fácil fazer, e qualquer um pode obter o mesmo desempenho.

Mas não foi apenas Ribeirão que esteve à frente desse cortejo. O filho do prefeito Manoel Gaspar (PMDB), Gustavo Gaspar andava de bonde com o parlamentar e acompanhava até a instalação da estrutura do circuito, na Avenida Tamoios. Ajudava a decidir. Ajudou nos dois primeiros anos, quando supostamente existia dinheiro em caixa.

No segundo ano de Carnaval, parte da equipe que integrava a Comissão Organizadora abandonou o festejo por discordar da forma como as coisas aconteciam. O vice-prefeito, Thiago Santos (PT) e o secretário de Meio Ambiente Renan Victor Pontelli se afastaram da organização por discordar de Ribeirão.

O Tupã Folia de 2013 não teve as contas abertas e está sendo questionado na Justiça sob suspeita de irregularidades, após denúncias do vereador Luis Alves de Souza (PC do B). Até a Casa do Garoto foi persuadida pela vereadora Telma Tulim (PSDB), e entrou numa furada. Por pouco o engodo não se repetiu no Tupã Junina de 2013.

Em 2014, os gastos aumentaram e os procedimentos de “transparência” foram os mesmos do passado. Não teve patrocinador, as catracas não atraíram nenhuma marca da AMBEV e só o município teve o “bolso” saqueado. As empresas que participaram do primeiro, já combinavam preços e antecipavam os resultados das licitações, como aconteceram neste ano. O ano passado a encenação foi transmitida ao vivo pela TV Câmara, a TV do Povo.

A única diferença de 2015, para os anos anteriores é a ausência do parlamentar e o valor gasto para promover a festa. Gaspar ficou só na organização do evento, com apoio do pessoal que de fato, e fez parte da Comissão Organizadora. Até o filho do prefeito ficou contra a realização do Tupã Folia neste ano.

Neste ano as dificuldades foram maiores pela falta de recursos. Recursos que se tivessem sido equacionados em 2013, teriam amenizado o momento atual, contrariando a tese de Ribeirão de que “R$ 1 milhão não faz falta num orçamento de R$ 130 milhões”. No ano passado, a Prefeitura contou moedas para fechar a folha de pagamento dos funcionários.

Na verdade, entre o Carnaval de 2013 e o Carnaval de 2014, em apenas 1 ano, os eventos sob a direção da Secretaria de Turismo, incluindo o Tupã Junina e a parceria com o Sindicato Rural de Tupã para promover a Exapit de 2013, consumiram mais de R$ 3 milhões.

Sem dinheiro acabou o amor e Gaspar ficou praticamente sozinho nesse Carnaval econômico. Agora a pergunta: se a estrutura deste ano foi viabilizada por apenas R$ 80.080,00, é um indicio de que as anteriores ainda que melhores, foram superfaturadas conforme prestação de contas do Tupã Folia 2014, apresentada à imprensa no dia 26 de março.

A alegação em março de 2014, para não conseguir patrocinador foi que não houve tempo suficiente. O mesmo discurso se repetiu neste ano. Mas Ribeirão manteve a perspectiva de gastos astronômicos para o Carnaval de 2015, e no final do ano passado, propagandeava a sua tática de que o Tupã Folia desde ano iria ter patrocinador. O patrocinador foi o bolso do contribuinte tupãense. Ou seja, balela a conversa da catraca que atrairia investidor se Tupã provasse que o evento reuniria mais de 30 mil pessoas por noite.

O BALANÇO DE 2014

Ribeirão convocou público e comerciantes beneficiados com o Carnaval para justificar o Tupa Folia 2014

Ribeirão convocou foliões e comerciantes beneficiados para justificar o Tupa Folia 2014

No total, participaram do processo licitatório 10 empresas e pela primeira vez Tupã transmitiu todo o procedimento da abertura da licitação pelo canal da TV Câmara, sendo que duas empresas venceram.

Com a estrutura foram gastos R$ 401.480,00. As bandas tiveram gastos no total de R$ 517 mil. Pela apresentação da banda Depois do Sol a Prefeitura pagou R$ 7.500,00; Michel Teló – R$ 200 mil; Axé Blond – R$ 63 mil; Bateria da Mancha Verde – R$ 48 mil; Leci Brandão – R$ 35 mil; e as sete apresentações da banda Jair Supercap Show ficou em R$ 163.500,00. Segundo balanço, foram gastos no total R$ 1.374.152,90, valor bem abaixo do que vinha sendo especulado antes da festa.

O presidente da Câmara Municipal, Antonio Alves de Sousa “Ribeirão”, ressaltou o trabalho e empenho dos funcionários da Prefeitura e da Comissão Organizadora para que o Carnaval fosse um sucesso. “Gostaria de parabenizar a todos que independentemente de como, ajudaram e trabalharam para que o Tupã Folia 2014 fosse o sucesso que foi. Todos puderam ver que o Carnaval não é só uma festa, através dele fazemos com que Tupã tenha desenvolvimento econômico e é isso que os comerciantes precisam. Em nome de todos os vereadores agradeço e parabenizo todas as pessoas que participaram desta grande festa”, destacou.

Já o chefe do Executivo disse que os problemas surgidos sobre o Carnaval 2014, foi a fase mais difícil de toda sua carreira política. “Essa questão do Carnaval, de fazer ou não fazer, foi à fase mais difícil de toda minha carreira como político em Tupã. Por isso, agradeço a todos que participaram e me ajudaram na decisão de fazer o Tupã Folia 2014, que foi o maior sucesso de todos os tempos. É disso que precisamos, de pessoas que nos ajudem e nos incentivem na realização dos eventos e outros projetos para melhorar a cidade, é essa união que faz com que as coisas aconteçam na cidade. Muito obrigado a todos”, finalizou.

Durante as cinco noites de folia estiverem presentes no circuito 500 Policiais Militares, além da Cavalaria e o Helicóptero Águia; e 692 seguranças contratados. O processo de licitação da Praça de Alimentação contou com quatro empresas participantes e teve uma ganhadora. O valor ficou em R$ 83 mil. Os camarotes tiveram gastos de R$ 26.500,00.

PÚBLICO

catracas

No total, passaram pelo Circuito Carnavalesco nas cinco noites 163 mil pessoas, sendo na sexta-feira o público de 12 mil; no sábado, 58 mil; no domingo, 25 mil pessoas; na segunda-feira, 35 mil; e na terça-feira, 24 mil pessoas. Na matinê de domingo foi registrado o público de 5 mil pessoas e na terça-feira de 4 mil.

Totalizando os dados, o Tupã Folia 2014 teve gastos de estrutura no total de R$ 401.480,00; shows, R$ 517 mil; investimentos diversos, R$ 131.389,00; com a publicidade foram gastos R$ 105 mil; segurança, R$ 74.044,00; ECAD, R$ 35.739,90; Praça de Alimentação e camarotes, R$ 109.500,00; e patrocínios, R$ 0,00 que totalizaram R$ 1.374.152,90.