ANUNCIE AQUI!
02/10/2015

Secretário de Cultura nega investigação sigilosa envolvendo seu nome

O secretário de Cultura de Tupã, Charles dos Passos, negou nesta quinta-feira (1) de forma veemente qualquer investigação sigilosa envolvendo o nome dele. Admitiu porém, que os comentários podem ter origem numa representação feita pelo Conselho Tutelar contra a participação de uma menor de 18 anos, no desfile que elegeu a Garota Exapit. Leia abaixo a íntegra do comunicado:

Zemanta Related Posts Thumbnail

Prezado Jota Neves, a respeito do que fora publicado no blog, venho esclarecer alguns pontos, para que não restem dúvidas quanto aos fatos.

Desconheço totalmente o fato de que contra mim esteja ocorrendo uma investigação. Em contato com o senhor Tiago Bereta, Secretário dos Assuntos Jurídicos da Prefeitura de Tupã, o mesmo me informou que não há nada tramitando nesse sentido. Nem eu e nem a prefeitura recebemos qualquer tipo de intimação, ou citação. Nem ao menos uma notificação para prestar esclarecimentos nos órgãos competentes.

Em contato ainda com o senhor Geraldo Magela, Secretário de Governo, o mesmo também negou ter conhecimento de qualquer assunto relacionado a essa suposta investigação.  E negou também que estariam articulando a minha saída da Secretaria de Cultura, por esse ou quaisquer outros motivos.

Por fim, entrei em contato com o Prefeito Manoel Gaspar e o mesmo corroborou as informações prestadas pelos secretários.

Então, salvo melhor Juízo, o que ocorreu foi um equívoco nas informações.

Penso que o que pode ter ocasionado tal equívoco é a informação de que, recentemente, fui representado pelo Conselho Tutelar local, em razão da participação de uma menor no concurso de escolha da Garota EXAPIT 2015, realizado no dia 06 de agosto na Praça da Bandeira. Representação essa formalizada no final de agosto desse ano e que tramita na Vara da Infância e Juventude da Comarca de Tupã, e que fora devidamente contestada.

Explico. Na realização do citado concurso, organizado pelo Sindicato Rural e Bonanza Western, as regras permitiam a participação de garotas acima de 16 anos, com expressa autorização dos pais.

Ocorre que, na data do evento, pouco antes das 18:00h a senhora Bete Manzano, uma das organizadoras, recebeu uma ligação do Conselho Tutelar para que providenciassem um alvará para a participação da menor. Sem tempo hábil para realizar tal requerimento, e na iminência do evento acontecer as 19:30 hs, a comissão decidiu permitir a participação da menor, que estava acompanhada pelos pais e familiares, pronta para desfilar.

Cabe salientar que a menor tinha, na ocasião, 17 anos e 10 meses. Tinha a permissão expressa dos pais, além de estar acompanhada por estes, como dito e, havia gasto um valor considerável com roupas, chapéu, botas, para participar do concurso.

Saliento ainda que a Secretaria de Cultura apenas cedeu o espaço e apoio  logístico para realização do evento, o qual ocorre toda quinta feira, o “Quinta com Arte”.

O Conselho Tutelar esteve presente no evento e constatou que a menor se encontrava nos bastidores do desfile. Posteriormente fizeram uma representação na Vara da Infância e Juventude da Comarca de Tupã, como dito acima.

Creio que foi esse o motivo de tais especulações e, por isso, decidi fazer uso do espaço, gentilmente cedido, para esclarecer os fatos.

Volto a salientar que não existe nenhuma investigação sigilosa em face de minha pessoa, pois todos os atos, por mim praticados, são bastante transparentes.

Sem mais, agradeço o espaço e espero ter contribuído para esclarecer tal especulação a Vossa Senhoria e a todos que leem esse respeitado espaço jornalístico.