ANUNCIE AQUI!
25/03/2016

Tragédia cala a voz do radialista Benito Abramo

Bom dia, Benito!

Benito Palmeirense

Era assim, todos os dias, ainda pela madrugada  que me dirigia ao repórter Benito Abramo, através do Skype. É por meio deste software que ”trocamos” informações com os nossos correspondentes e repórteres e a sede da emissora em Bastos.

Hoje (25), feriado Santo, não me comuniquei pela redes sociais. O jornalismo não atua em feriados nacionais ou em feriados decretados pelo Estado. Mas, por ironia do destino, o repórter que todos os dias se encarregava de ser o portador da notícia…

Amanhã, sábado (26), restará a lembrança de um companheiro de trabalho discreto, introspectivo e ao mesmo tempo falante quando o assunto era o Palmeiras, seu time de coração.  Benito Mussolini Abramo: o nome deixa claro sua descendência de italianos.

VELÓRIO

O corpo do radialista Benito Mussolini Abramo, 54 anos, ainda está no IML – Instituto Médico Legal e deverá ser liberado no final da tarde desta sexta-feira, para velório no Memorial Tamoios. O sepultamento deverá acontecer às 10 horas da manhã deste sábado (26). O local ainda é incerto por falta de espaço no cemitério da Saudade.

Ele morreu vítima de grave acidente na manhã de hoje, após bater na parede do pontilhão sob a rodovia Comandante João Ribeiro de Barros, na vicinal Quatá/Tupã. Benito Abramo era responsável pela sucursal de jornalismo da Rádio Cidade FM (91,5) em Rancharia e atualmente morava em Tupã com um casal de filhos adolescentes.

O veículo que dirigia Um Renault Logan placas de Rancharia, trafegava no sentido Quatá a Tupã e colidiu violentamente contra o viaduto. O local é o mesmo onde morreu da mesma forma o empresário Eizi Hirano.

Foto: Joãozinho Trinda

Foto: Joãozinho Trinta

O choque foi tão violento que pedaços do carro foram parar próximo da cerca da Casa da Criança. Tudo indica que não usava o cinto de segurança. Na pista não há marcas de frenagem e o carro ficou completamente destruído. Ainda não há informações sobre o que levou o radialista a trafegar pelo local.

Não há informações se tinha algum compromisso profissional em Rancharia. Pelo horário do acidente (9h30), era pouco provável que de fato estivesse a trabalho. Os filhos dormiam quando ele possivelmente saiu de casa. Após a fatalidade, vizinhos foram consolar os filhos do radialista que souberam da notícia através da internet. Abalados não se manifestaram.

O radialista Benito Abramo estava separado da esposa e não possuía familiares. Os pais e um irmão que viviam em Atibaia já são falecidos. Parentes da ex-esposa que moram em Natal, Rio Grande do Norte, Porto Alegre (RS) e em São Paulo foram avisados da tragédia e estão viajando para Tupã.

O radialista veio para Tupã no começo dos anos 90 e trabalhou no comando do Jornal do Meio Dia, à época em que a Rádio Clube AM era gerenciada por Antenor Avanço e, depois, Ângelo Rigoldi. Transferiu-se para a Rádio Cidade FM, onde permaneceu até os dias atuais. Nesse ínterim, chegou a gerenciar a Rádio Clube, para em seguida, assumir a sucursal de jornalismo da Cidade FM em Rancharia. Até de repente, Benito!