ANUNCIE AQUI!
23/07/2016

Bullying e ameaça terminaram em homicídio no Frigo Estrela

Chamado de magrelo e vítima de supostas ofensas que colocavam dúvidas sobre sua masculinidade, além de uma ameaça de morte ocorrida na semana passada foram determinantes para o crime de homicídio. A morte teria acontecido dentro de uma carreta de transporte de carne.

A faca usada no crime

A faca usada no crime

Antônio Carlos – sem camisa foi vítima de homicídio, mas testemunhas garantem que ele pratica bullying contra Fabrício – foto menor

Antônio Carlos – sem camisa foi vítima de homicídio, mas testemunhas garantem que ele pratica bullying contra Fabrício – foto menor

Na manhã deste sábado (23) Fabrício estaria de folga, mas o destino traiçoeiro o colaria na cena do crime e como autor de um homicídio. Para a polícia esse é um tipo de crime difícil de ser combatido. Acontece entre quatro paredes ou em locais diversos e de surpresa, quando menos se espera.

Mas nesse caso ocorrido neste fim de semana em Tupã, se não pudesse ser evitado poderia no mínimo ter dificultado caso alguma providência fosse tomada no sentido de dificultar o contado direto entre a “vítima” e o “acusado”. Antônio Carlos da Costa e Silva, 27 anos, era visto por testemunhas como autor de constantes práticas de bullying contra Fabrício Fernandes Araujo.

Bullying é um termo utilizado para descrever atos de violência física ou psicológica, intencionais e repetidos, praticados por um indivíduo ou grupo de indivíduos causando dor e angústia.

Fabrício teria constantemente pedido para mudar de turno temendo um possível entrevero mais grave com seu desafeto. Nenhum desses pedidos dele ou de terceiros teriam sido atendidos pelo setor competente da empresa.

Há alguns dias, Fabrício teria sofrido inclusive ameaça praticada pela vítima. Fabrício advertiu mais uma vez o RH – Recursos Humanos sobre o fato e a necessidade de mudança de turno. Os desentendimentos entre ambos eram constantes e as ofensas por parte de Antônio Carlos tornavam-se mais intensas.

A reportagem do blog esteve no frigorífico e testemunhas contaram que temendo as supostas agressões verbais e até física fizeram com que Fabrício passasse a andar armado com uma faca. A faca o acompanhava fora da empresa e dentro do próprio frigorífico. Ele temia pela vida e acreditava que as ameaçam poderiam se confirmar.

DIA DE FÚRIA

O crime teria ocorrido dentro de uma carreta

O crime teria ocorrido dentro de uma carreta

Como um dos responsáveis pelo controle de qualidade, Fabrício não podia permitir que nenhuma embalagem saísse do frigorífico com qualquer tipo de dano. Mas neste sábado o confronto entre vítima e acusado iria fugir ao “controle de qualidade” e se transformaria na gota d´água para um sangrento crime.

Fabrício advertiu Antônio Carlos sobre a necessidade de substituição de uma das caixas contendo carne que era transportada para um caminhão. A carga seria entregue em supermercados. Estes estabelecimentos também mantém rigor no controle sobre as condições das embalagens dos produtos adquiridos.

Mas, a advertência verbal feita por Fabrício no cumprimento de sua função teria sido ignorada por Antônio Carlos e as costumeiras ofensas teriam se repetido. Foi quando de repente, Fabrício tomado pelo possível sentimento de humilhação, enfureceu-se e investiu contra Antônio Carlos e empunhando uma faca o desferiu quatro golpes – costas, peito, axila e barriga.

Outros funcionários que trabalhavam no local o contiveram -, mas transtornado, Fabrício ainda tentava atacar Antônio Carlos. Durante a contenção feita pelos colegas de trabalho, não teria colocado a integridade física de nenhum deles em risco. Socorrido, a vítima não resistiu e morreu a caminho da Santa Casa de Tupã, após uma parada cardiorrespiratória.

Antônio Carlos Costa tinha 27 anos e deixou três filhos. Fabrício foi conduzido a Central de Polícia Judiciária, preso em flagrante pelo crime de homicídio e encaminhado para cadeia de Lutécia. Esse foi o segundo homicídio do ano registrado em Tupa em 2016.

A morte de Elisângela Aparecida Dias Rodrigues, 26 anos, desaparecida em janeiro próximo à UPA e encontrada morta em 7 de março, aconteceu em Iacri. Ela teria sido estrangulada num canavial depois de um desentendimento após uma relação sexual. O acusado identificado por P.S.P, morador em Piacatu, foi preso em Guararapes. O segundo homicídio aconteceu a tiros contra a vida do metalúrgico Keder Roger do Nascimento, 29 anos, registrada em 17 de maio, na Rua Osvaldo Bonjardim, próximo à Rua Marília. O crime ainda não foi esclarecido.