ANUNCIE AQUI!
10/11/2016

Correios deixarão de atender pequenos municípios

Carteiros de Herculândia, Iacri e Arco-Íris serão transferidos para Tupã. O Sindicato promete mobilizar a categoria para impedir a adoção da medida.

Tupã deverá ser um Centro de Distribuição Domiciliária-CDD centralizador. Cidade de pequeno porte podem ser prejudicadas com a decisão

Tupã deverá ser um Centro de Distribuição Domiciliária-CDD centralizador. Cidade de pequeno porte podem ser prejudicadas com a decisão

Uma reunião realizada na segunda-feira (7) na Câmara Municipal de Herculândia reuniu carteiros da microrregião de Tupã, lideranças políticas e diretores do Sindicato dos Empregados da Empresa Brasileira de Correios e Telégrafos e Similares – SINDECTÉB/Bauru e região.

O objetivo do encontro foi discutir com o parlamento a possível extinção dos serviços postais no município. Em resumo, segundo o Sindicato, a proposta irá criar duas categorias de cidades. As que terão serviços postais diários e as que terão serviços de forma eventual, como deverá acontecer com Herculândia.

De acordo com o SINDECTÉB, a Empresa Brasileira de Correios está implantando o projeto de reestruturação “que já está afetando profundamente a sua rede de unidades”. De acordo com o presidente da Câmara de Herculândia, Hélio Lúcio Cabrini, que protocolou moção de repúdio contra a medida, entre as muitas propostas está a da criação do Centro de Distribuição Domiciliária – CDD Centralizador.

As Unidades devem ficar em cidades de médio e grande porte, por exemplo, em Tupã. Neste caso, os carteiros das cidades vizinhas como Herculândia, Iacri, Arco-Íris, entre outras devem ser transferidos para a Unidade Centralizadora.

PERGUNTAS

A possível medida a ser adotada pelos Correios tem como eventual finalidade cortar gastos. A reestruturação traz muitas perguntas e nenhuma resposta. A grande preocupação das comunidades que poderão sofrer a restrição é em relação “com que frequência as correspondências e encomendas serão entregues”, questiona o Legislativo de Herculândia.

Ainda segundo o documento, o projeto de reestruturação que contempla a criação da Unidade Centralizadora vai contra o estabelecido na Portaria nº 566, de dezembro de 2011, que “estabelece as metas para a universalização dos serviços postais básicos, a serem cumpridas pelos Correios”.