ANUNCIE AQUI!
20/07/2017

DISSIDÊNCIA: Ricardo Raymundo perde a maioria na Câmara com rompimento de Charles dos Passos

O parlamentar deixou a bancada do PSB. Já Renan Pontelli e Pastor e Cabo Castilho se tornaram independentes da chamada “República Verde”. Para o blog, conforme o artigo intitulado “O refém do poder” o responsável pelo fracasso da base aliada é do deputado federal Evandro Gussi (PV). 

Charles dos Passos deixou a bancada do PSB

Charles dos Passos deixou a bancada do PSB

Renan Pontelli agora é independente

Renan Pontelli agora é independente

Pastor e Cabo Castilho segue o mesmo caminho...

Pastor e Cabo Castilho segue o mesmo caminho…

Conforme o blog havia antecipado no artigo “Refém do Poder” e a influência negativa do deputado estadual Evandro Gussi (PV) sobre a administração de José Ricardo Raymundo (PV), o vereador Charles dos Passos deixou a bancada do PSB, e está a um passo para migrar definitivamente para a oposição. Amauri Mortágua (PR), já formulou o convite ao parlamentar para integrar o grupo que hoje é composto por 7 vereadores.

Simultaneamente a decisão de Passos, Renan Pontelli e Osmidio Castilho “Pastor Castilho”, ambos da mesma sigla partidária anunciaram que se tornaram independentes. Não pretendem mais votar com o PV. Os dissidentes colocam em situação delicada a atual administração que já perdeu a maioria no Legislativo e encontrará dificuldades para aprovar suas pretensões.

Os integrantes do Partido Socialista Brasileiro, porém, afirmam que vão votar o que for “bom para o município”, entretanto, nem mesmo eles conseguem visualizar a extensão dessa medida.

SEM CONTROLE

O prefeito está de folga no Ceará

O prefeito está de folga no Ceará

Aoqui está em Belém do Pará acompanhando um grupo de DeMolay

Aoqui está em Belém do Pará acompanhando um grupo de DeMolay

Toda esta situação acontece em um momento em que o prefeito e o vice-prefeito estão fora do município. Depois de uma pescaria, Ricardo Raymundo está de folga em Fortaleza (CE), terra conhecida por revelar grandes humoristas. Parece piada. Já Caio Aoqui (PSD) acompanha uma comitiva da maçonaria em Belém do Pará, região Norte do país. Quem está “comandando” a situação é Moacir Monari – nomeado no sábado (14) para o cargo de Secretário de Governo e Administração.

O atual secretário de Governo e Administração, não conseguiu impedir o conflito

O atual secretário de Governo e Administração não conseguiu impedir o conflito

Monari, ex-assessor parlamentar do deputado federal Evandro Gussi, assumiu a pasta na segunda-feira (16), e sequer tem conhecimento do que de fato está ocorrendo. O artigo divulgado ontem (19) pelo blog, intitulado Refém do Poder mostrava exatamente o descontentamento que estava acontecendo na base aliada da administração.

O responsável por esta situação claudicante, de acordo com a publicação é o deputado Evandro Gussi no comando intransigente da administração do município. Sem permitir uma aliança interpartidária para governar o município, e restringir o domínio da chamada “República Verde” tem deixado os “aliados” do prefeito Ricardo Raymundo em situação oposta.

O BLOCO

Charles dos Passos protoclou o ofício ao presidente do Legislativo, Valter Moreno (DEM), informando sua saída do BLOCO PARLAMENTAR DO PSB, alegando um parco motivo de “foro íntimo”. Segundo informações apuradas pelo blog, a partir de agora o “Bloco do PSB” no Legislativo tupãense, continua contando com a participação dos dois outros vereadores do partido, ou seja, Renan Pontelli e Cabo e Pastor Castilho, os quais declararam que, a partir de agora continuarão presentes firmes nas comissões da Casa Legislativa, continuando a atuar politicamente de forma livre e agindo sempre independente numa busca onisciente pelo bem comum, tornando sempre seus votos e atitudes políticos em prol do que for melhor para a população tupãense.

Charles dos Passos, ao menos por enquanto, ainda continua filiado ao PSB e poderá integrar futuramente outro Bloco Parlamentar no Legislativo local, podendo inclusive vir a compor, doravante, o chamando “Bloco da Oposição”, ou ainda o popular “G-7”.

Desde o início do governo de Ricardo Raymundo, os 15 vereadores haviam se dividido em 03 grandes blocos parlamentares: o oposicionista “G-7”, o situacionista “G-5” e o independente “G-3” composto pelos vereadores do PSB.

E atualmente, com o atual “desgoverno” imperando no “gabinete do PV”, o Legislativo ficou ao longo apenas de um semestre, praticamente “esmigalhado”, vez que o G-5 recentemente já havia perdido um dos seus integrantes, o que fez com que a nova composição dos blocos legislativos passasse a ter o seguinte cenário:

G-1 – Gilberto Neves Cruz, “Capitão Neves” (PV).

G-1 – Charles dos Passos (PSB).

G-2 – Renan Pontelli e Cabo e Pastor Castilho, ambos (PSB).

G-4 – Valter Moreno Panhossi (DEM), Antonio Carlos “Meirelles” da Silva (PV), Paulo Henrique Andrade (PPS) e Eduardo Akira Edamitsu “Shigueru” (PV).

G-7 – Amauri Sérgio Mortágua (PR), Alexandre Scombatti (PR), Telma Tulim (PSDB), Pastor Eliézer de Carvalho (PSDB), Tiago Matias (PRP), Pastor Rudynei Monteiro (PP) e Augusto Fresneda Torres, “Ninha” (PMDB).

Leia também: O refém do poder