ANUNCIE AQUI!
31/08/2017

Analistas fazem Prognóstico que acordão vai durar apenas seis meses

Acusado de traição, o presidente do PSDB se defende e diz que acordão foi de “porteira fechada”, linguagem usual do ex-prefeito. Pela conciliação, o partido de Waldemir Gonçalves Lopes vai comandar duas Secretarias.

A conciliadora Telma Tulim arrasta o PDSB para o governo do PV

A conciliadora Telma Tulim acaba com o litígio entre o PDSB e o PV

Depois de perder a arquiteta Jeane Rosin, Waldemir agradece o acordo de porteira fechada feito por Schiavon

Waldemir sente-se no poder e agradece o acordo de porteira fechada feito por Schiavon

Diversos analistas políticos de Tupã e Brasília consultados pelo blog, e conhecedores da negociação barulhenta do governo de Ricardo Raymundo (PV) para viabilizar a maioria na Câmara afirmaram que o acordão tem prazo de validade de apenas seis meses. Este é tempo que a maioria dos observadores da situação e oposição acredita que durará a paz na administração partilhada.

De acordo com a previsão, a forma como tudo aconteceu – atabalhoada e sem nexo – comprometimento político, a coalizão não deve se sustentar. “Se o prognóstico se confirmar, a crise de governança será maior que agora”, garantiu um dos informantes que por motivos óbvios prefere não se identificar.

Agora, por exemplo, quando tudo parecia sacramentado, os tucanos “abriram o bico” gritando traição por parte do presidente do PSDB, Edson Schiavon. “Ele havia garantido que não tinha intenção de fazer parte de um governo descompromissado com o desenvolvimento político de suas ações, e agora diz que o acordão foi de porteira fechada”.

Porteira fechada significa de que não será dividida as pastas de Assistência Social e de Meio Ambiente. As duas serão comandas pelas por Telma Tulim e Pastor Eliézer de Carvalho, respectivamente. E o PSB que teria feito um esforço colossal para atrair três parlamentares da oposição, incluindo Tiago Matias (PRP) ficaria voando?

O partido estaria satisfeito com a nomeação de Duda Gimenez para a Secretaria de Relações Institucionais. Mas, há quem diga que a indicação teria partido do próprio prefeito. Por tudo isso, o acordão é mesmo nebuloso e nem os próprios envolvidos conseguem elucidar a embaraçosa trama articulada para agilizar a governança.

FOGO AMIGO

O descontente Valter Moreno será independente

O descontente Valter Moreno será independente. “Não haverá prefeitura para todos”

Capitão Neves (PV) - sem liderança

Capitão Neves (PV) – sem liderança. Está de olho no que vai sobrar da base de apoio ao governo de Ricardo Raymundo

Renan Pontelli - pensando nas eleições à presidência da Câmara em 2018 cobrou acordo com Valter Moreno

Renan Pontelli – pensando nas eleições à presidência da Câmara em 2018 cobrou acordo com Valter Moreno

Agora, o governo de Ricardo Raymundo vai enfrentar o chamado fogo amigo. Os situacionistas estão descontentes e vão ficar de olho na distribuição de cargos. Com maioria na Câmara, em tese, não haveria resistência em aprovar a criação de cargos em comissão para abrigar e apaziguar os ânimos de colaboradores de campanha.

Fogo amigo, é o pior veneno que uma administração pode enfrentar. A oposição você sabe quem é, mas nem sempre é possível identificar os verdadeiros amigos, principalmente na política. Essa possibilidade está descartada. O que há são os amigos do poder.

Resta saber agora, se o Pastor Eliézer também será o líder do prefeito e se haverá mesmo o confronto entre ele e o Pastor Rudynei Monteiro (PP), arquitetado na antessala do prefeito.

Leia também: “G-10” já briga por divisão de Secretarias