ANUNCIE AQUI!
23/08/2017

Barganha: a intenção era “renovar” a Câmara de Tupã através de suplentes

Foi cogitada até a possibilidade de “Ribeirão” substituir o Pastor Rudynei no Legislativo. O objetivo da maior negociação política da história tupãense era garantir maioria absoluta ao governo do PV, mesmo contrariando os interesses do deputado federal Evandro Gussi.

Vazio no Paço nesta quarta-feira

Vazio no Paço nesta quarta-feira

A mesma situação foi percebida na Câmara. Silêncio!

A mesma situação foi percebida na Câmara. Silêncio!

A quarta-feira (23) amanheceu na Praça dos dois Poderes, como Brasília amanhece nos finais de semana: silêncio sepulcral. A imprensa até procurou pelas autoridades, mas notou-se apenas um vazio de poder. Poucos foram vistos circulando pelos corredores do Paço Municipal e ou pela Câmara.

Entre os que circularam pela prefeitura estava a Secretária de Assistência Social, Ana Cláudia Lavagnine Costa, cogitada ser substituída pela vereadora Telma Tulim (PSDB). No mais, viagens às pressas foram realizadas para possivelmente discutir os destinos de Tupã, bem longe dos limites do município.

Mesmo tendo Gussi como padrinho, Marcos Zanelato poderia ser trocado...

Mesmo tendo Gussi como padrinho, Marcus Zanelato poderia ser trocado…

Rudynei poderia ocupar a Secretaria de Desenvolvimento Econômico

Rudynei poderia ocupar a Secretaria de Desenvolvimento Econômico

Os políticos tupãenses agiam nos porões para perpetrarem uma barganha capaz de “renovar” de forma indireta os parlamentares, mesmo após as eleições que renovaram dois terços do Legislativo. Os suplentes deveriam entrar compromissados e alinhados com as intenções do Executivo.

Além das possibilidades já anunciadas pelo blog, cogitou-se até a possibilidade de o opositor Pastor Rudynei Monteiro (PP) ser conduzido para a Secretaria de Desenvolvimento Econômico e Comércio Exterior para ocupar o lugar de Marcus Zanelato – um dos protegidos de Gussi. O ex-vereador Antônio Alves de Sousa, o “Ribeirão” (PP) assumiria como suplente. Mas, a parada ficou indigesta.

ESPORTES

Outra discussão também mereceu atenção. Aproveitando o relacionamento do parlamentar Alexandre Scombatti (PR) com a Secretaria de Esportes, por conta de suas atividades com o basquete e outras modalidades esportivas, foi cogitada a sua ida para a pasta em substituição a Marco Pinheiro. Paulo “da Farmácia” Cesar Soares (PR) é o suplente da coligação.

Marco Pinheiro deixaria o Esporte...

Marco Pinheiro deixaria o Esporte…

Scombatti - sondado para assumir a área esportiva

Scombatti – sondado para assumir a área esportiva

Com a divulgação feita pelo blog houve um grande recuo nas intenções. Novos estudos estão sendo feitos para viabilizar oura forma e ou ratificar o plano que estava sendo executado para garantir a maioria absoluta à base aliada ao governo.

O que causou estranheza é o fato de que em meio a este turbilhão político, o secretário de Governo e Administração, Moacir Monari duramente repreendido pelo deputado federal, Evandro Gussi, simplesmente ausentou-se da Comarca. Segundo informações, ele tinha viagem pré-agendada.

Foi toda esta movimentação de bastidor que deixou os secretariado técnico de cabelo em pé. Em conversas reservadas cogitaram pedir exoneração. Pelas informações que o blog obteve, ao menos seis das 9 pastas seriam ocupadas por agentes políticos.

Leia também: Renovação: depois de 20 anos, Tupã assiste virada histórica

Deputado Evandro Gussi bate na mesa contra abertura do governo de Ricardo Raymundo