ANUNCIE AQUI!
24/08/2017

Telma Tulim enfrenta resistência de funcionários da Secretaria de Assistência Social

Uma assistente social já havia denunciado como a vereadora se beneficiava com o Departamento de Proteção à Mulher. O órgão que serviu de cabide de emprego foi criado na administração Gaspar, como moeda de troca para eleger Ribeirão presidente da Câmara. 

Telma Tulim - já pensa em mudanças na equipe

Telma Tulim – já pensa em mudanças na equipe

Prédio do Semas - decisão do prefeito esvazio o sentimento de trabalho sério

Prédio do Semas – decisão do prefeito esvazio o sentimento de trabalho sério

A revolta tomou conta de funcionários efetivos, nomeados e ou em desvio de função – prestando serviços na Secretaria de Assistência Social, ao saber através do blog de que o prefeito José Ricardo Raymundo (PV) iria nomear a vereadora Telma Tulim (PSDB) para ocupar o lugar da assistente social, Ana Cláudia Lavagnine Costa.

Matéria de hoje do Jornal Diária ratifica todas as informações divulgadas pelo blog. Sobre Telma ser nomeada secretária, a reportagem revela sobre a existência de um comunicado interno na Secretaria Municipal de Assistência Social dando conta de um levantamento nos setores, que seria iniciado pela parlamentar.

Aqueles funcionários que podem – pensam em pedir mudança de setor. Já outros não terão a mesma oportunidade e prometem receber Telma Tulim com um sorriso no rosto, mas não de satisfação. A atual comandante da pasta, Ana Cláudia já esteve nesta semana colocando o cargo à disposição, caso seja necessário. Ela apostou muito no governo do PV. Assim como o próprio prefeito e eleitores – existia a convicção de que era possível fazer política de forma diferente. Ledo engano.

A esperança de um trabalho técnico deu lugar ao medo da barganha...

A esperança de um trabalho técnico deu lugar ao medo da barganha…

Para o setor técnico da prefeitura, as nomeações políticas podem trazer prejuízos à população em algumas Secretarias. Isto acontece uma vez de que todas as ações podem ser direcionadas com a finalidade exclusiva de contemplar interesses dos próprios vereadores. A propósito, em 2015, por duas vezes a vereadora Telma Tulim foi acusada por funcionários da pasta de se beneficiar politicamente de decisões do Conselho Tutelar e do Departamento de Atenção à Mulher.

AS DENÚNCIAS

Telma mulher

O Departamento de Atenção à Mulher foi criado em 2013 exatamente para abrigar os interesses eleitoreiros de Telma Tulim, durante o 3º mandato de Manoel Gaspar (PMDB). Ela recebeu o departamento como moeda de troca por votar na eleição de Antônio Alves de Sousa, o “Ribeirão” (PP) como presidente da Câmara. Assim como ela, outros edis também foram beneficiados.

Leia também: Vereadora é acusada de “usar” Conselho Tutelar para obter votos

De acordo com uma assistente social que preferiu não se identificar à época, o Departamento não tinha nenhuma função de proteção à mulher. Era apenas um cabide de emprego. Sobre o Conselho Tutelar ao qual a vereadora também tinha ascensão, tirava proveito de informações privilegiadas. “A Telma usa as informações para ganhar votos em cima da desgraça alheia”, disse a informante.

DESCONFIANÇA

Benevolência da administração fez o PSDB exigir também três Secretarias

Benevolência da administração fez o PSDB exigir também três Secretarias

Telma Tulim aguarda com grande expectativa de que as negociações progridam a seu favor. O PSDB de olho na benevolência do governo de Ricardo Raymundo teria exigido três Secretarias para apoiar a administração. O assunto foi tratado a semana passada entre o gabinete e o presidente da sigla Edson Schiavon. Já Waldemir Gonçalves Lopes (PSDB) desmente a hipótese.

Ele tem enfatizado aos seus correligionários de que o governo atual não vai dar certo e o partido não pode entrar “num barco furado”. Telma Tulim torce para que haja um acerto maior, assim, assumiria a Assistência Social sem enfrentar nenhuma resistência dos líderes partidários.

O grande problema e que fez a vereadora recuar foi o fato de o blog antecipar toda a trama feita na calada da noite. Ninguém admite as negociações, mas também não há nenhuma nota desmentido o apurado. Há muita tensão, clima de desconfiança e muitos interesses por trás de toda a movimentação, mas nenhum deles diz respeito a população. Ainda que a suposta intenção seja de governança pública.

Leia também: Deputado Evandro Gussi bate na mesa contra abertura do governo de Ricardo Raymundo