ANUNCIE AQUI!
14/06/2018

Evandro Gussi abrigou-se nos braços de pivô do escândalo conjugal

A jornalista atualizou seu perfil no Dia dos Namorados, com uma declaração de amor ao deputado federal. A amante foi exonerada do cargo que ocupava no Ministério do Meio Ambiente.

Gussi e Ticiane

A suspeita da família do deputado de que a jornalista Ticiane de Oliveira seria a outra ganhou força após revelação sobre o nome que será dado ao bebê – Tomás

A jornalista prudentina, Ticiane Aparecida de Oliveira, foi exonerada do Ministério de Meio Ambiente do governo de Michel Temer (MDB). A demissão aconteceu após a revelação sobre a gravidez.

Não há informação oficial sobre o motivo da exoneração, se tem relação com o escândalo, ou se é pelo fato do afastamento de quem a nomeou, no caso, José Sarney Filho, o “Zequinha” (PV- MA).

Até o dia 6 de abril, Zequinha foi o Ministro de Meio Ambiente do governo de Michel Temer, e se afastou para concorrer nas eleições de outubro. Para substituí-lo, a Frente Parlamentar da Agropecuária indicou Evandro Herrera Bertone Gussi (PV-SP), mas sua nomeação não aconteceu.

Ticiane de Oliveira é a principal suspeita de ser a pivô da separação entre o parlamentar e a farmacêutica Joyce Raquel Ubeda Haddad.

A FORMAÇÃO

A exemplo da moça, que tem suas origens em Presidente Prudente, Gussi também é da terra, mas radicado em Tupã. Coincidentemente, os dois têm passagem pela Unoeste – Universidade do Oeste Paulista, com sede na mesma cidade.

O parlamentar estudou e lecionou na Unoeste, e a assessora também tem formação acadêmica na mesma Universidade.

Há informações de que o casal se conheceu em Prudente, e após eleger-se deputado federal, Gussi a levou para Brasília para atuar no Ministério de Meio Ambiente.

A ADMISSÃO

Ticiane de Oliveira foi admitida no Ministério em 21 de fevereiro de 2017. Nove meses depois, a partir de novembro, anunciou a gravidez nas redes sociais. Sua exoneração aconteceu no auge da crise conjugal entre Gussi e Joyce, em 27 de março, conforme atesta publicação feita no Diário Oficial da União.

Também não há informação se a exoneração teria relação com a possível indicação de Gussi para assumir o Ministério, mas antes de ser conduzida possivelmente pelo deputado, para viver e trabalhar na capital federal, Ticiane de Oliveira teve uma passagem por uma emissora de TV do Paraná, afiliada da Rede Globo.

CORRUPÇÃO MATRIMONIAL

GUSSIO E TICIANE

Como se observa não há coincidência – são fatos associados aos últimos acontecimentos que fizeram com que Joyce Haddad desconfiasse da ex-assessora especial do Ministério do Meio Ambiente, principalmente após as últimas postagens feitas pela rival nas redes sociais.

Segundo as últimas informações, após Joyce expulsar o parlamentar da casa onde viviam, localizada na Vila Inglesa, descobriu-se que Tomás – nome que será dado ao rebento é o mesmo escolhido por Joyce, caso o casal tivesse um menino.

A INSPIRAÇÃO

A amante tinha super salário público - como Gussi era acostumado a viver  nos últimos 10 anos

A amante tinha super salário público – como Gussi era acostumado a viver nos últimos 10 anos, graças ao seu padrinho político Reinaldo Alguz (PV-SP)

Uma fonte fidedigna ligada à igreja católica revelou ao blog que a escolha tem relação estreita com a admiração que o deputado tem pelos escritos de São Tomás de Aquino – frade católico italiano, cujas obras tiveram enorme influência na teologia, filosofia e na influência no pensamento ocidental concebida como desenvolvimento ou oposição de suas ideias, particularmente na ética, lei natural, metafísica e teoria política.

A jornalista mostrava em sua página do Facebook fotos de viagens pela Europa. Com um salário bruto de mais de R$ 12 mil, e com verbas indenizatórias de quase R$ 4 mil poderia se dar ao luxo de fazer excursões nababescas pelo Velho Continente.

REINCIDÊNCIA

Gussi Joyce

Em se confirmando que de fato Evandro Gussi “legislou” em causa própria, ou seja, usou de sua influência para conduzir ao cargo sua virtual amante ao Ministério do Meio Ambiente, vai ficar configurado ser contumaz na imoralidade.

Mesmo antes de ser parlamentar, a parceria entre ele e o deputado estadual Reinaldo Alguz de Souza (PV), já havia articulado a nomeação de sua ex-esposa e de seu pai José Reinaldo Gussi (PV) a cargos de assessores especiais na ALESP – Assembleia Legislativa de São Paulo, a partir de 2008, e até às vésperas de assumir cadeira na Câmara Federal.

As nomeações se deram através de seu criador político e parceiro de negócios, o deputado estadual tupãense, Reinaldo Alguz, radicado em Dracena, mas atualmente morando em São Paulo.

Enquanto Alguz hoje está estabelecido na capital paulista, Gussi desapareceu de Tupã. No final de março veio visitar os pais em Dracena, após ser colocado para fora de casa a socos e pontapés, pela própria mulher Joyce Haddad, segundo informações de interlocutores.

Leia também: A vida privada do homem público

EVANDRO GUSSI: Escorraçado de casa, o parlamentar busca “abrigo” no Ministério de Temer