ANUNCIE AQUI!
13/06/2018

Sem dinheiro: Prefeitura empurra pagamento de horas extras para fevereiro

A decisão provocou reunião de garis e a paralisação não está descartada, caso a medida não seja revista. 

Secretário Anderson Pereira explicou a tese do Executivo, após publicação da portaria

Secretário Anderson Pereira explicou a tese do Executivo, após publicação da portaria

Os garis lotados na Secretaria de Agricultura e Meio Ambiente de Tupã promoveram na manhã desta quarta-feira, dia 13, reunião com o Sindicato dos Servidores Públicos Municipais e diretores da pasta, para discutir a portaria baixada na sexta-feira, (8), pelo prefeito José Ricardo Raymundo (PV).

De acordo com o documento, a partir de agora, todos os funcionários públicos municipais que fizerem horas extras receberão 50% em folha e a outra metade, em fevereiro de 2019. 50% de horas extras são equivalentes a 25 horas extras mensais. A Prefeitura só paga até 50 horas extras/mês.

No caso dos garis, motoristas de ambulâncias e da Educação, entre outros possíveis profissionais do setor público municipal laboram muito mais que apenas 50 horas extras ao mês.

SEM DINHEIRO

A questão é: qual a vantagem vai levar a Prefeitura ao postergar o pagamento de todas as horas extras para fevereiro? Segundo apurou a reportagem, não há dinheiro para pagá-las em dia. Uma fonte revelou que não há sequer recurso para a próxima folha de pagamento dos funcionários. A arrecadação caiu muito.

A saída, de acordo com a portaria do prefeito é protelar o pagamento de 50% de todas horas extras para o ano que vem, acreditando na recuperação da economia – e da arrecadação com os impostos como IPVA – Imposto sobre Propriedade de Veículos Automotores e o próprio IPTU a partir de março.

Depois da reunião, às 6 horas da manhã, os garis saíram para coletar o lixo...

Depois da reunião, às 6 horas da manhã, os garis saíram para coletar o lixo…

A “FISGADA”

Caio Ricardo

Do encontro de hoje ficou decidido que os garis vão aguardar uma reunião entre o presidente do Sindicato dos Servidores Públicos Municipais, Marcos Antônio Barbosa, o “Borracha” e o prefeito Ricardo Raymundo, que retorna da licença neste fim de semana. Os funcionários esperam que o Sindicato “fisgue” as reais intenções do Executivo para definir uma estratégia de ação.

O prefeito licenciou-se, e deu férias ao secretário de Finanças, Cláudio Zopolato para ambos curtirem uma pescaria. Só para lembrar, o atual vice-prefeito, Caio Aoqui está respondendo interinamente como prefeito de Tupã, mas não tratou diretamente sobre o protesto dos garis, nas dependências da Secretaria de Agricultura e Meio Ambiente.

Os trabalhadores explicaram ao sindicalista e ao vereador Paulo Henrique Andrade (PPS), que assumiram compromissos e o pagamento de apenas 50% das horas extras têm prejudicado o orçamento familiar.

A categoria também está desconfiada da suposta garantia de recebimento da outra parte em fevereiro, através do banco de horas. O secretário de Agricultura e Meio Ambiente, Anderson Luiz Pereira deixou claro que a decisão foi do Executivo.