ANUNCIE AQUI!
07/02/2019

Alta Paulista mobilizada em favor dos pacientes com câncer

Enquanto autoridades tupãenses se isentam, reuniões de Presidente Prudente a Iacri discutem o problema denunciado pelo blog, de que os pacientes não seriam mais atendidos em hospitais especializados de Jaú e de Barretos. Um desses encontros aconteceu na terça-feira (5), na cidade de Adamantina, de acordo com matéria do portal Sigamais.

Por: Da Redação 5 de fevereiro de 2019 | 21h06               atualizado: 21:41

Encontro realizado na tarde desta terça-feira, no gabinete do prefeito Márcio Cardim, com representantes da Rede de Combate ao Câncer, Poder Executivo e Câmara Municipal (Fotos: Da Assessoria).

Encontro realizado no gabinete do prefeito Márcio Cardim, com representantes da Rede de Combate ao Câncer, Poder Executivo e Câmara Municipal (Fotos: Da Assessoria).

Rede e lideranças vão ampliar mobilização em favor dos pacientes com câncer.

Decisões da Secretaria Estadual da Saúde repercutem negativamente entre a sociedade e autoridades.

Encontro realizado na tarde desta terça-feira, no gabinete do prefeito Márcio Cardim, com representantes da Rede de Combate ao Câncer, Poder Executivo e Câmara Municipal (Fotos: Da Assessoria). Encontro realizado na tarde desta terça-feira, no gabinete do prefeito Márcio Cardim, com representantes da Rede de Combate ao Câncer, Poder Executivo e Câmara Municipal (Fotos: Da Assessoria).

Representantes da Rede de Combate ao Câncer de Adamantina se reuniram na tarde desta terça-feira (5) no gabinete do prefeito Márcio Cardim, onde foram debatidas as recentes decisões da Secretaria Estadual de Saúde, acerca da nova dinâmica de atendimento a pacientes com câncer.

Participaram a presidente da Rede de Combate ao Câncer, Radige Mostafa Spósito e duas representantes da diretoria, prefeito Márcio Cardim, o secretário municipal de saúde Gustavo Taniguchi Rufino acompanhado do enfermeiro Clayton Gomes Cavaco, e os vereadores Eder Ruete, Acácio Rocha, Aguinaldo Galvão, Alcio Ikeda e Eduardo Fiorillo.

No encontro, foram debatidos os impactos da decisão tomada pela Secretaria Estadual de Saúde e os riscos de desassistência imediata a pacientes oncológicos de Adamantina e região. A mobilização seguirá pela articulação política na tentativa de sensibilizar e pressionar autoridades estaduais, para rever a decisão.

Em paralelo, ficou decidido também a mobilização da sociedade, como um todo, por meio de um abaixo-assinado, para ganhar adesões que representem um desejo das cidades da região em ter restabelecida a possibilidade de encaminhar pacientes oncológicos a hospitais de referência, como o Amaral Carvalho, em Jaú, e o Hospital do Amor, em Barretos.

No último sábado (2), Dirigentes da Rede de Combate ao Câncer de Osvaldo Cruz, Dracena e Adamantina tiveram um encontro com o secretário estadual de desenvolvimento regional, Marco Vinholi e o deputado estadual Mauro Bragato. Participaram também a vereadora Dinha Santos Gil e o prefeito Márcio Cardim. (Continua após a publicidade…)

As mudanças 

Câncer Ada

Para os moradores de cidades da região, ligadas ao Departamento Regional de Saúde (DRS) de Marília, os atendimentos a pacientes oncológicos passam a ser concentrados em Tupã, Marília e Ourinhos (reveja). A decisão foi tomada pela Secretaria Estadual de Saúde.

Essa nova determinação impede os encaminhamentos de pacientes, pela Rede de Combate ao Câncer, e pela própria Secretaria Municipal de Saúde, a hospitais de referência, como o Amaral Carvalho, em Jaú, e o Hospital do Amor, em Barretos.

Segundo a Secretaria Estadual de Saúde, os pacientes oncológicos da Nova Alta Paulista e demais cidades da DRS de Marília, que procuram a rede pública de saúde, pelo SUS, em busca de tratamento para o câncer, agora são atendidos por meio da Rede Hebe Camargo de Combate ao Câncer, do Governo do Estado.

Para isso, os encaminhamentos ficam condicionados à fila de espera (central de regulação de vagas), do DRS de Marília.

Fonte: Sigamais

Já na segunda-feira (4), o portal Ocnet informou que até representantes do Hospital do Câncer de Barretos estiveram em Osvaldo Cruz e deram esperanças de atendimento a pacientes do município. O Encontro foi no auditório da Associação Comercial.

Câncer OCOSVALDO CRUZ – Representantes do Hospital do Amor de Barretos, especializado no tratamento de pacientes com câncer, estiveram em Osvaldo Cruz na noite desta segunda-feira, 4, para uma reunião com representantes locais da Rede Feminina de Combate ao Câncer, pacientes e lideranças locais. Pessoas de outras entidades de voluntários contra o câncer da região também estiveram presentes.

O Sr. Edvaldo, coordenador do Hospital de Barretos para a Alta Paulista, explicou que o hospital está de portas abertas para o encaminhamento de pacientes da região sem a necessidade de serem submetidos à central regulatória de vagas da Secretaria Estadual de Saúde, a Cros.

“Os encaminhamentos poderão ser feitos pela Rede Feminina de Combate ao Câncer de Osvaldo Cruz poderá realizar o encaminhamento até Barretos mediante o prontuário médico e eventualmente resultados de biópsias. Esses documentos e os pacientes serão recepcionados e assistidos em Barretos”, destacou a tesoureira da Rede Feminina de Combate ao Câncer de Osvaldo Cruz, Izaltina Otaviani Silva.

Único vereador de Osvaldo Cruz presente à reunião, Luis Ricardo Spada Bonfim (PSDB), o Bitinha, ressaltou que a população agora começa a ter uma nova esperança, que havia sido retirada pelo Governo do Estado à medida em que passou a encaminhar os doentes de câncer para cidades como Marília, Tupã, Ourinhos e Assis em detrimento de hospitais de referência como Jaú e Barretos.

“Estamos aqui para tranquilizar e mostrar que já existe uma saída para que os pacientes com câncer recebam o devido tratamento e em estabelcimentos altamente especializados”, disse Bitinha, que como secretário da Associação dos Municípios da Nova Alta Paulista (Amnap) levou o mesmo pleito à entidade municipalista.

O político destacou que, mesmo diante da sinalização do Hospital de Barretos, ainda há caminhos a serem percorridos em termos de negociação com o Governo do Estado. “A Amnap está com essa bandeira, a de saber o porquê da mudança na sistemática de encaminhamento dos pacientes. Até porque o Hospital Amaral Carvalho de Jaú não aceita encaminhamentos diretos das entidades de voluntários sem passar pela Cros, a central de regulação de vagas”, destacou Bitinha.

Fonte: Ocnet