ANUNCIE AQUI!
10/07/2019

Eleições 2020: Ribeirão agora quer trazer “pastor” Rudynei para Tupã

Pensando no oitavo mandato consecutivo, Ribeirão quer o ex-vereador como cabo eleitoral.

Ribeirão e Rudynei Monteiro à época em que negavam renuncia - Foto/Arte: Tupacity

Ribeirão e Rudynei Monteiro à época, outubro de 2016 negavam renúncia consumada em 2017 – Foto/Arte: Tupacity

Depois de liderar o movimento para cassar o ex-prefeito Ricardo Raymundo (PV), o vereador Antônio Alves de Sousa, “Ribeirão” (PP) começa “pavimentar” um caminho de volta para o ex-vereador “pastor” Rudynei Monteiro (PP).

Para tratar sobre o assunto, Ribeirão esteve na semana passada na capital paulista, oito meses depois de sua tumultuada posse para cumprir seu sétimo mandato, após Rudynei renunciar ao cargo e abrir espaço para seu suplente de coligação.

A possibilidade de Rudynei retornar a Tupã tem estreita relação com o momento político atual e com o fim da coligação partidária, a partir das eleições de 2020, quando serão eleitos os mais votados.

A coligação permitia que uma pessoa eleita com muitos votos elegesse outros candidatos do seu partido ou coligação com menos votos.

Agora, Ribeirão o quer apenas como cabo eleitoral de luxo. Para isso, ele pode até usar a estrutura pública ou ajeitar um emprego partidário regional para seu pupilo.

À época da proposta de renúncia Ribeirão garantiu que o pastor iria viabilizar muito recurso para Tupã assumindo um cargo no escritório político do PP, mas isso nunca aconteceu. O blog também divulgou que o ex-parlamentar esteve ocupando cargo na Secretaria de Meio Ambiente do Estado.

Leia também: Partido nomeou Pastor Rudynei Monteiro em Secretaria estadual

RUDY

Como "Rudy", nova silhueta - Foto: Facebook

Como “Rudy”, nova silhueta – Foto: Facebook

Ao anunciar a semana passada uma suposta emenda de R$ 300 mil para recape, Ribeirão iniciou o “pavimento” para justificar o retorno de “Rudy” – como ficou conhecido recentemente ao aparecer num programa policialesco de repercussão nacional.

Sobre a nova proposta, interlocutores comentaram que Rudynei observou que o momento atual não lhe é favorável para retornar ao município, por ter eventualmente traído os seus eleitores ao permitir que Ribeirão voltasse ao Legislativo.

Ribeirão insiste na tese e acredita que apesar do ocorrido, como cabo eleitoral Rudynei ainda seria capaz de viabilizar ao menos duzentos votos, daqueles 603 alcançados em 2016. Ribeirão ficou suplente com 568 votos e, agora, vê maior dificuldade para buscar seu oitavo mandato consecutivo.

Leia também: Exclusivo: Ribeirão pode retornar à Câmara em outubro, após renúncia de Pastor Rudynei