ANUNCIE AQUI!
05/11/2019

Novo Pacto Federativo pode extinguir Arco-Íris, que voltaria a pertencer a Tupã

O município vizinho possui 1856, segundo senso do IBGE de 2017. O estado de São Paulo perderia o menor município, Borá, na microrregião de Paraguaçu Paulista. As novas medidas, se aprovadas podem derrubar o custo Brasil: Menos 1.254 prefeitos e, no mínimo, mais de 12 mil vereadores.  

Governo propõe extinguir municípios com até 5 mil habitantes e sem receita; SP tem 143. Há 1.253 municípios com até 5.000 habitantes; governo não divulgou quantos não se sustentam.

Paulo Guedes, ministro da Economia, defende proposta Paulo Guedes, ministro da Economia, defende proposta / Foto: Divulgação

Paulo Guedes, ministro da Economia, defende proposta / Foto: Divulgação

O Governo Federal planeja reduzir o número de municípios pequenos sem autonomia financeira existentes no país. Uma das medidas prevista na chamada PEC do Pacto Federativo, entregue no Senado, o Ministério da Economia apresenta uma regra que prevê a fusão de municípios nessa condição.

De acordo com a proposta entregue nesta terça-feira (5) pelo presidente Jair Bolsonaro aos parlamentares, municípios com menos de 5.000 habitantes e arrecadação própria menor que 10% da receita total será incorporado pelo município vizinho.

O Brasil tem 1.253 municípios com menos de 5.000 habitantes, segundo o IBGE (Instituto Brasileiro de Geografia e Estatística). Isso equivale a 22,5% do total de 5.570 municípios brasileiros (incluindo o Distrito Federal).

Três municípios no Brasil têm menos de 1.000 habitantes, de acordo com a última estimativa, de julho de 2019: Serra da Saudade (MG), com 781 pessoas; a paulista Borá, com 837; e Araguainha (MT), com 935.

O governo não informou, até o momento, quantos municípios seriam atingidos pela nova regra.

Na semana passada, a Firjan (federação das indústrias do Rio de Janeiro) divulgou estudo que mostra que uma em cada três cidades brasileiras não possui arrecadação própria suficiente para bancar sua estrutura administrativa (prefeitura e Câmara de Vereadores).

Isso representa 1.856 cidades de um total de 5.337 que entregaram seus dados ao Tesouro Nacional em 2018.

O ministro Paulo Guedes (Economia) disse que a ideia de reestruturar pequenos municípios sem autonomia financeira surgiu em conversas com parlamentares. “São lideranças políticas experientes e eles têm lá os combates deles”, afirmou.

A equipe econômica achou o tema oportuno e o incluiu em uma das três PEC (Propostas de Emenda à Constituição) do pacote, que, nos últimos dias, foi ajustado de acordo com a viabilidade política para aprovar as medidas.

Caberá ao Congresso decidir sobre a fusão e a restrição para criação de novos municípios.

Também serão criadas restrições para criação de novas cidades.

Fonte: AF Notícias

Leia também: GRAMPO: GAECO investiga vice-prefeito de Arco-Íris e o secretário de Governo