ANUNCIE AQUI!
12/02/2020

Advogado denuncia vereador à polícia por cabeçada

Vítima pediu as imagens à Câmara para representar contra o parlamentar, que alegou ter reagido ao ser intimidado

Lázaro Jr. – Hojemais Araçatuba

Advogado Milton Walsinir de Lima, 60 anos, o Dr. Barata, teve o olho lesionado em cabeçada (Foto: Hojemais Araçatuba)

Advogado Milton Walsinir de Lima, 60 anos, o Dr. Barata, teve o olho lesionado em cabeçada (Foto: Hojemais Araçatuba)

O advogado Milton Walsinir de Lima, 60 anos, mais conhecido como Dr. Barata, de Birigui (SP), denunciou à polícia o vereador Leandro Moreira, o Lê (Republicanos), por lesão corporal. Os dois tiveram um desentendimento na sessão realizada na tarde de terça-feira (11), na Câmara local.

Em boletim de ocorrência registrado na manhã desta quarta-feira (12), ele acusou o parlamentar de tê-lo agredido com uma cabeçada, causando ferimento no olho esquerdo.

O desentendimento teria ocorrido em função de uma suposta lista com nomes de vereadores de Birigui que estariam sendo investigados pela polícia por possível fraude ligada a OSSs (Organizações Sociais de Saúde).

A reportagem do Hojemais Araçatuba acompanhava a sessão, que tinha na pauta projeto para a redução no número de vereadores em Birigui, o qual foi aprovado.

Por volta das 17h30 houve um tumulto próximo à entrada do prédio, que fica na avenida Nove de Julho, mas a suposta agressão não foi presenciada pela reportagem, que viu apenas o advogado caído no chão.

Ao se levantar, ele já estava com o rosto sangrando bastante. Em seguida, assessores de parlamentares disseram que não era para ninguém fotografar e nem comentar sobre ocorrido. O vereador também estava com um corte na testa, que sangrou. A sessão chegou a ser suspensa pelo presidente da Casa Felipe Barone (Cidadania).

Logo após o tumulto, o Hojemais Araçatuba fez contato com o plantão policial e foi informado que o advogado esteve no local, mas não foi possível registrar o boletim de ocorrência naquele momento devido ao sistema estar inoperante.

Lista

No relato feito à polícia, Dr. Barata declarou que foi à sede do Legislativo e perguntou ao recepcionista se havia sido votado o projeto relacionado ao campo de futebol do Jardim Flamengo.

Ainda de acordo com ele, nesse momento um vereador passou pela recepção e informou que a votação desse projeto havia sido adiada por uma semana.

A vítima relatou ainda que Lê estava no plenário da Câmara, deixou a cadeira, passou pela recepção e saiu do prédio. Em seguida retornou, aproximou-se e disse: “divulga aquela lista de novo”.

Imediatamente após a declaração o parlamentar o desferiu a cabeçada no rosto da vítima, segundo o advogado, que declarou no boletim de ocorrência que quer que ele seja processado criminalmente por lesão corporal.

Esporte

Em entrevista ao Hojemais Araçatuba, Dr. Barata afirmou que foi à Câmara porque é ligado ao esporte e faz parte de uma associação que atende crianças.

Ainda de acordo com ele, na sessão de terça-feira seria votado projeto que cede o campo do bairro Jardim Flamengo para uso dessa associação. “Eu nem entrei no plenário. Foi o tempo de ele encostar em mim e dizer: “divulga essa lista de novo e em seguida veio a cabeçada”, afirmou.

Sobre a tal lista, com os nomes dos investigados em suposta fraude, o advogado alegou que ela em tese não materializa nenhum delito, pois refere-se a uma investigação em curso. “Ele atribuiu a divulgação à minha pessoa, por eu ter relação com investigados nessa operação”, explicou.

Após procurar a polícia, ainda na noite de terça-feira, a vítima esteve no pronto-socorro para atendimento médico.

Imagens

Na manhã desta quarta-feira, Dr. Batata voltou à Câmara para requisitar as imagens gravadas pelo sistema de monitoramento, que quer anexar no inquérito. No período da tarde, ele passaria por exame de corpo de delito no IML (Instituto Médico Legal).

O advogado adiantou que também entrará com representação na Câmara contra o vereador Lê, para que tal atitude também seja investigada no âmbito do Legislativo. “Imagina se todos que forem na Câmara e que tiverem posição contrária forem agredidos? Fui lá como cidadão”, questionou.

Pré-candidato

O vereador Lê foi procurado pela reportagem e disse que também irá registrar boletim de ocorrência para dar a versão dele sobre os fatos e para se defender.

Segundo o parlamentar, o advogado que o acusa vem denegrindo a imagem dele há algum tempo e essa perseguição teria aumentado após ele ter apresentado o projeto que reduz o número de cadeiras da Câmara, por Barata ser pré-candidato a vereador.

“Lá na sessão ele me provocou, tentou me intimidar para eu retirar o projeto e eu não vou me intimidar. Lá (na Câmara) ele tem que me respeitar”, argumentou.

Lê contou que teve amizade com Dr. Barata, mas após ele resolver sair candidato a vereador, passou a falar inverdades sobre ele, talvez tentando se promover, segundo o parlamentar.

“Esse projeto, que é um anseio da população, foi o estopim para me intimidar. Tentei me controlar, diante do que vem me desacatando, mas acabei me descontrolando”, comentou.

O vereador disse que também foi agredido e que, além de registrar boletim de ocorrência, representará contra o advogado na subsede da OAB (Ordem dos Advogados do Brasil) em Araçatuba, com pedido para acionar a subseção de Birigui.

Legislativo

A reportagem entrou em contato com a assessoria de imprensa do Legislativo para saber quais providências serão tomadas diante dos fatos e aguarda retorno.