ANUNCIE AQUI!
15/02/2020

Reviravolta: Policial ficou preso e prefeita de Vera Cruz foi liberada

Segundo a Polícia Civil, policial foi autuado por dano ao patrimônio público e lesão corporal. Prefeita de Vera Cruz (SP) alegou à polícia que estava voltando de um compromisso na capital com sua equipe, quando parou para comer e foi abordada.

Por Carlos Dias, G1 Sorocaba e Jundiaí

Policial civil flagra prefeita com carro oficial em outlet e é preso por danificar placa

Policial civil flagra prefeita com carro oficial em outlet e é preso por danificar placa

Um policial civil foi preso por danificar a placa do carro oficial da prefeita de Vera Cruz (SP), Renata Zompero Devito (PSDB), depois que a flagrou em um shopping outlet que fica às margens da rodovia Castello Branco (SP-280), em São Roque (SP).

Um vídeo que circula nas redes sociais mostra o momento em que o policial encontra o carro oficial estacionado. Nas imagens, é possível ver que ele começa a registrar a placa e mostra a prefeita ao volante (veja vídeo acima).

Na sequência, ele impede a chefe do Executivo de sair com o carro. Uma pessoa desce do veículo e o policial diz ‘aqui é polícia. Se sair eu atiro’. Logo após, o policial danifica a placa do carro para mostrar que o veículo é de Vera Cruz. No vídeo não é possível ver sacolas de compras.

De acordo com o delegado Marcelo Apolinário, o policial civil foi levado para a delegacia com a prefeita e a equipe dela.

Indagada, ela afirmou que estava em um compromisso na capital e parou no shopping apenas para comer e ir ao banheiro, quando o policial a abordou, danificou a placa e teria agredido um membro de sua equipe.

Ainda de acordo com o delegado, a Corregedoria da Polícia Civil foi acionada e entendeu que quem cometeu o crime foi o policial. Ele foi autuado por dano ao patrimônio público e lesão corporal. Após pagamento de fiança, foi liberado.

A prefeita foi liberada após ser ouvida e o integrante que teria sido agredido fez exame de corpo delito.

Em nota, a prefeitura informou que os integrantes retornavam após cumprimento de agenda oficial na semana, quando foram abordados pelo policial, que ameaçou todos com arma de fogo. O Executivo afirma que acionou a polícia e registrou boletim de ocorrência e que está tomando as medidas judiciais.