ANUNCIE AQUI!
07/07/2020

Morador de Varpa chora ao contar o terror do ciclone úmido

Mais de 5 mil árvores foram derrubadas pelos ventos de até 100km/h. As ameaças de novos fenômenos deixam todos apavorados.

temporal varpa 4“Eu ainda estou traumatizado”, disse o morador na manhã do dia 4 de julho, quase uma semana depois da passagem do ciclone úmido sobre o distrito de Varpa, município de Tupã.

Sem identificá-lo, contamos apenas a narrativa vivida na escuridão da madrugada do domingo, dia 28.

- Fui acordado pela minha esposa dizendo que a casa estava caindo. Assustado me levantei, peguei uma lanterna e ameacei sair pra fora de casa. Já não tinha energia.

O morador conta que ao cair em si, percebeu que nada podia fazer e se tratava de uma tempestade. O ruído do vento arrancando e decepando árvores era intenso e assustador. Depois de 11 longos minutos, o silêncio e o pânico.

temporal varpa 5- Felizmente na minha casa e num depósito que possuo na propriedade poucos danos, ninguém sofreu um arranhão sequer, mas só na minha área, mais de 70 árvores foram derrubadas.

A prefeitura havia informado que o ciclone teria danificado cerca de 120 árvores. Essa quantidade é apenas nas vias públicas e praças. Segundo o morador, um levantamento entre os proprietários calcula-se que mais de 5 mil árvores de várias espécies, entre elas, eucaliptos foram destroçadas pelos ventos que atingiram até 100km/h.

“Com tanta madeira no chão, quem utiliza-se desse comércio, quer pagar mixaria. Muitos proprietários estão limpando suas chácaras e sítios e vão enterrar os galhos”, disse a testemunha de um fenômeno jamais visto até então, desde a fundação do distrito, em 1922.

GUARDA-ROUPAS

temporal varpa 10Depois da passagem do ciclone, enquanto se coloca a casa em ordem e se restabelece do susto, os causos contados provocam até uma sensação de alivio e motivo para distensionar.

Depois de enxugar as lágrimas, enquanto nos relatava a sensação de impotência diante da poderosa ação da natureza, outros testemunhos chegam a ser cômicos.

Ele conta que um casal escondeu-se dentro do guarda-roupas para escapar da fúria do ciclone. Já outro, foi parar embaixo da mesa, quando as primeiras telhas começaram a cair. “Ele disse que parecia a bateria de uma escola de samba a queda de telhas sobre a mesa que o protegia”.

temporal varpa 11Brincalhão, mas não menos assustado com o fato, o cidadão seguia no seu relato à testemunha. “Revelou que permaneceu escondido embaixo da mesa até às 5 da madrugada. O temporal teve início por volta de 1 hora. Só a partir de então disse ter saído em desabalada carreira para um campo aberto onde não existia nenhuma árvore para se refugiar do ciclone que já havia passado há horas, tamanho o susto”, observou o depoente.

NOVAS AMEAÇAS

Nesta semana que passou, entre terça-feira e quarta-feira, dia 1º, os moradores de Varpa, na sua maioria letos e descendentes voltaram a ficar apavorados com a ameaça de a região voltar a ser atingida pelo ciclone-bomba que provocou estragos e pelo menos 12 mortes no Sul do Brasil.

Para esta semana um novo alerta sobre ciclone

Para esta semana um novo alerta sobre ciclone

Equipes da concessionária de energia elétrica, da Defesa Civil Municipal e do Corpo de Bombeiros monitoravam a todo instante a trajetória do fenômeno para informar os moradores.

A ordem era pegar apenas o necessário e evacuar a área. “pediram pra gente pegar documentos e algumas peças de roupas e sair rapidamente. A cada telefonema a gente ficava de sobressalto, esperando o pior”, lembrou.

A preocupação era grande uma vez que pelo trajeto que o ciclone fazia poderia ir de novo na direção do distrito, mas felizmente as informações não se confirmaram e todos puderam descansar da tormenta.

Nesta semana, ainda que alguns meteorologistas garantem que o terceiro ciclone formado a partir do Sul não deve atingir o estado de São Paulo, a Defesa Civil faz alerta para ventos fortes de até 80km/h, para a região de Marília (veja ao lado).

Leia também: Tempestade tropical com ventos sustentados de até 100 km/h provocou pânico e estragos em Tupã