ANUNCIE AQUI!
23/08/2017

Sérgio Moro autoriza soltura de Vaccarezza mediante fiança de R$ 1,5 milhão

Ex-líder do PT na Câmara dos Deputados foi preso provisoriamente na última sexta; ele é suspeito de receber propinas em contratos da Petrobras O juiz Sérgio Moro, da 13ª Vara Federal de Curitiba (PR), responsável pelas ações penaisdecorrentes da Operação Lava Jato em primeira instância, autorizou nesta terça-feira (22) a soltura do ex-deputado federal Cândido Vaccarezza (Avante-SP) mediante pagamento de fiança no valor de R$ 1,5 milhão – quantia que poderá ser paga em até dez dias. O político foi preso temporariamente na última sexta-feira (18). Na mesma decisão, Sérgio Moro determinou, de maneira cautelar, a proibição de que o ex-deputado deixe o País. O político – que foi líder do PT na Câmara dos Deputados nos governos dos ex-presidentes petistas Luiz Inácio Lula da Silva e Dilma Rousseff – também está proibido de mudar de endereço, de fazer contatos com os demais investigados na operação e de exercer cargo ou função pública. A defesa de Cândido Vaccarezza alegou que ele tinha agendado uma biópsia de próstata diante da constatação de uma alteração na glândula. Por esse motivo, o magistrado responsável pelas ações da Lava Jato considerou mais adequado impor medidas cautelares alternativas em vez de decretar a prisão preventiva do ex-petista. A conversão da prisão temporária em preventiva, que não tem prazo definido, ...

Continue lendo esta notícia
Postado por: jota 0 comentário Categorias: Corrupção
18/08/2017

Cândido Vaccarezza, ex-líder de Dilma e Lula, é alvo de mandado de prisão na Lava Jato

Vacarezza teria recebido dinheiro para facilitar contratos de uma empresa estrangeira com a Petrobras. APolícia Federal cumpre na manhã desta sexta-feira (18) mandados de duas fases da Lava Jato. É a primeira vez que o órgão deflagra duas etapas da operação ao mesmo tempo. Segundo as informações disponíveis até agora, o principal alvo é o ex-deputado federal Cândido Vacarezza, que foi líder dos governos Lula e Dilma na Câmara dos Deputados. Há um mandado de prisão temporária contra ele. Vacarezza teria recebido dinheiro para facilitar contratos de uma empresa estrangeira com a Petrobras. A operação foi determinada pelo juiz Sergio Moro, da 13.ª Vara Federal de Curitiba. Segundo a Polícia Federal, foram cumpridas 46 ordens judiciais: 29 mandados de busca e apreensão, 11 mandados de condução coercitiva e seis mandados de prisão temporária em São Paulo, Santos (SP) e Rio de Janeiro. As duas fases, a 43.ª e 44.ª, foram batizadas de Operação Sem Fronteiras e Operação Abate. Ambas investigam corrupção, desvio de verbas públicas e lavagens de ativos identificados em contratação de grandes empresas com a Petrobras. De acordo com o comunicado da PF, na chamada Operação Sem Fronteiras “é investigada a relação espúria entre executivos da Petrobras e grupo de armadores estrangeiros para obtenção de informações privilegiadas e favorecimento obtenção de contratos milionários ...

Continue lendo esta notícia
Postado por: jota 0 comentário Categorias: Corrupção
10/08/2017

Justiça condena em primeira instância ex-prefeito Valtinho e mais dois da Máfia das Casinhas

Integrantes da comissão de licitações da Prefeitura e secretário foram absolvidos. OSVALDO CRUZ - A Justiça Estadual de Osvaldo Cruz condenou em primeira instância o ex-prefeito Valter Luiz Martins (PSDB) (três mandatos entre 1994-2012) e mais  advogado Carlos Eduardo Sampaio Kauffman e a funcionária da empresa envolvida, Patrícia Oliveira Turri, a penas que variam de 5 anos e 6 meses a 4 anos e 6 meses de reclusão, regime semiaberto, por envolvimento em supostas denúncias de fraudes em licitações e corrupção na chamada Máfia das Casinhas. Da decisão cabe recurso e, portanto, não é definitiva. No mesmo processo secretário de governo da época e membros da comissão de licitação da Prefeitura de Osvaldo Cruz foram absolvidos. Segundo sentença da juíza Mariana Sperb, da 1a Vara da Comarca de Osvaldo Cruz, os responsáveis pela empresa Ferreira e Turri Construções Ltda montavam várias empresas e atuavam em várias licitações de prefeituras pelo oeste do Estado, sempre com informações privilegiadas que partiram de funcionários da própria Companhia de Habitação do Estado, a CDHU. As propostas geralmente eram em preços bem inferiores dos outros concorrentes, o que ao certo davam estas empresas ligadas ao grupo Ferreira e Turri as vitórias nas licitações. É da sentença ainda a juíza Mariana Sperb que o mesmo grupo Ferreira e Turri montavam outras ...

Continue lendo esta notícia
Postado por: jota 0 comentário Categorias: Corrupção
09/08/2017

Playgrounds: Gaspar terá que devolver quase R$ 400 mil

Os brinquedos foram adquiridos da mesma empresa que vendeu os kits de calçados “papetes”. A compra está sob investigação sigilosa do Ministério Público. Os playgrounds apresentam defeitos e colocam em risco a integridade física de crianças. O preço foi superfaturado em mais de 220 por cento. O Tribunal de Contas do Estado de São Paulo (TCE) decidiu no começo de agosto de que o ex-prefeito Manoel Gaspar (PMDB) terá que devolver aos cofres públicos R$ 366.316,50, devidamente atualizados até a data do recolhimento. De acordo com a sentença do auditor Valdenir Antonio Polizeli, o valor corresponde ao montante de recurso público utilizado para comprar de forma superfaturada de módulos de brinquedos (playgrounds) da empresa Renato Gomes Livros ME com sede em Promissão. É a mesma empresa que aparece na licitação de compra de kits de calçados. A licitação sob suspeita de fraude e a compra dos famigerados calçados estão sob investigação sigilosa do Ministério Público. Renato Gomes, e outras empresas fazem parte de um possível esquema que lesou diversas prefeituras do Estado de São Paulo, na comercialização destes produtos. Conforme o blog divulgou em 14 de março de 2016 -, LEIA - Papetes: máfia dos calçados agiu em Tupã para “queimar” dinheiro da educação Além dos casos das papetes, a empresa Renato Gomes também venceu ...

Continue lendo esta notícia
Postado por: jota 0 comentário Categorias: Corrupção
27/07/2017

Influente paraguaçuense é preso em nova fase da Operação Lava Jato. Ele presidiu a Petrobrás e o BB

A prisão do paraguaçuense Aldemir Bendine aconteceu nesta manhã, em Sorocaba onde morava com a família. De acordo com o MPF, existem evidências de que ele pediu propina à empresa Odebrecht. O ex-presidente do Banco do Brasil e ex-presidente da Petrobras Aldemir Bendine foi preso na 42ª fase da Lava Lato, batizada de Operação Cobra, nesta quinta (27). Bendine foi detido em Sorocaba. Ao todo, segundo a Polícia Federal, cumpridos 11 mandados de busca e apreensão e três de prisão temporária no Distrito Federal, Pernambuco, Rio de Janeiro e São Paulo. De acordo com o Ministério Público Federal, há evidências de que Bendine solicitou R$ 17 milhões de propina na época em que comandou o Banco do Brasil (2009-2015) para viabilizar a rolagem de dívida de um financiamento da Odebrecht AgroIndustrial. Marcelo Odebrecht e Fernando Reis, executivos da empreiteira que fecharam acordo de delação premiada, afirmaram que negaram a solicitação por acharem que Bendine não tinha capacidade de influenciar no contrato. No entanto, segundo a Procuradoria, há provas apontando que, na véspera de assumir a presidência da Petrobras, em 6 de fevereiro de 2015, Bendine e um de seus operadores financeiros solicitaram nova propina aos executivos, com a justificativa de proteger a Odebrecht em contratos, inclusive em relação às consequências da Operação Lava Jato. Os ...

Continue lendo esta notícia
Postado por: jota 0 comentário Categorias: Corrupção
19/07/2017

O refém do poder

A influência negativa do deputado Evandro Gussi, na atual administração está desagregando. Assim como Temer e Maia, Ricardo terá o PSB como o “fiel da balança”. O cardápio é um só - o poder para os dissidentes. O blog descreveu a função do deputado federal Evandro Gussi (PV) como uma éminence grise, (em francês "eminência parda"). A sua função EXTRAOFICIAL é atuar “nos bastidores” como um poderoso conselheiro do prefeito Ricardo Raymundo (PV). Em resposta ao fato abordado pelo blog, Gussi tentou desvencilhar-se. Admitiu as nomeações de secretários e omitiu estar “por trás” da administração. Em entrevista ao Diário preferiu afirmar que está “ao lado” do governo. Na verdade, Evandro Gussi é um refém do poder. Ele aparece no meio do poder. Cercado por talheres usados como “ferramenta” que movimenta a engrenagem de negociações da obscura e contemporânea política brasileira. A VÍTIMA DO REFÉM Em política, segundo Wikipédia, a enciclopédia livre -, eminência parda é o nome que se dá quando determinado sujeito que não é o governante, mas é o verdadeiro poderoso, agindo muitas vezes por trás do soberano legítimo, o qual é uma marionete dele, e pode muito bem ser deposto pela eminência parda caso este não o agrade. A eminência parda ainda pode utilizar qualquer tipo de influência para exercer o seu ...

Continue lendo esta notícia
Postado por: jota 0 comentário Categorias: Corrupção
12/07/2017

BRASIL: Moro condena Lula a 9 anos e 6 meses de prisão por caso tríplex

Esta é a primeira condenação de Lula no âmbito da Lava Jato; ele ainda é réu em outros quatro processos. Cabe recurso Por Valéria Bretas, Luiza Calegari São Paulo – O ex-presidente Luiz Inácio Lula da Silva foi condenado pelo juiz Sergio Moro a nove anos e seis meses de prisão por lavagem de dinheiro e  corrupção passiva no caso do tríplex do Guarujá, investigado no âmbito da Operação Lava Jato. Em suas alegações finais do processo,  o MPF pediu a prisão de Lula em regime fechado, sustentando que ele recebeu R$ 3,7 milhões em benefício próprio – de um valor de R$ 87 milhões de corrupção – da empreiteira OAS, entre 2006 e 2012. Segundo o MP, Lula teria recebido o tríplex no Guarujá como contrapartida por contratos fechados entre a OAS e a Petrobras durante sua gestão. Do total, R$ 2,4 milhões se referiam a melhorias e reformas de um tríplex no Guarujá, e outro R$ 1,3 milhão teria financiado o armazenamento de seus bens pessoais entre 2011 e 2016, incluindo o acervo de presentes recebidos durante seus anos na presidência, segundo a acusação do MPF. Também são réus no caso o ex-presidente da OAS, Léo Pinheiro, os executivos da empresa Agenor Franklin Medeiros, Paulo Gordilho, Fábio Yonamine e Roberto Ferreira, e o presidente ...

Continue lendo esta notícia
Postado por: jota 0 comentário Categorias: Corrupção
11/07/2017

Apoio de Gussi a Temer pode favorecer a liberação de recursos para Tupã

O prefeito Ricardo Raymundo espera aporte financeiro para deslanchar a administração do PV – Partido Verde.                         O apoio irrestrito do deputado federal Evandro Gussi (PV) ao presidente da República pode favorecer Tupã. Segundo o Jornal Nacional edição de hoje (11), a União deverá liberar R$ 12 bilhões em emendas parlamentares, diante do parecer favorável da CCJ – Comissão de Constituição e Justiça à denúncia que pesa contra Michel Temer. O deputado federal Evandro Gussi que já votou a favor do relatório da reforma da Previdência, também deve estar comprometido com outras ações que podem favorecer a manutenção de Temer no poder, em meio às denúncias de corrupção e de tentativa de mostrar força com a aprovação de reformas, como a do trabalho e da própria Previdência. Dos males, o menor, em havendo confirmação da liberação deste montante de recursos em emendas, o prefeito José Ricardo Raymundo demonstra-se esperançoso de que alguma vera seja efetivamente destinada para o município. É uma incógnita se há algum pedido especifico para o município. O que há de informação é de que existia uma eventual emenda de R$ 2 milhões destinada à Santa Casa de Tupã. Segundo alguns interlocutores do parlamentar, apenas R$ 180 mil teriam sido liberados para o hospital. O ex-prefeito Manoel Gaspar, durante balanço de seu segundo ...

Continue lendo esta notícia
Postado por: jota 0 comentário Categorias: Corrupção
03/07/2017

Gerente de indústria de calçados desiste de processo contra o blog, após desmentir prefeito

A desistência deve-se provavelmente pela investigação do Ministério Público. O processo corre em segredo de Justiça. O atual prefeito, Ricardo Raymundo é um dos autores da denúncia de licitação sob suspeita de fraude para a compra de sandálias papetes pela administração Gaspar. O gerente comercial da empresa Pé com Pé de Birigui, Elzio Ribeiro desistiu da representação criminal contra o blog jotaneves.com, dois meses e meio após a publicação da matéria “Máfia dos calçados agiu em Tupã”, divulgada em 14 de março de 2016. O blog foi comunicado sobre a Carta Precatória (CP) que chegou na Central de Polícia Judiciária (CPJ) para interrogar o autor da reportagem. Após o depoimento confirmando o teor da publicação, não houve interesse do reclamante em prosseguir com a ação. De acordo com a representação feita contra o blog, Elzio desmentia veementemente a versão do prefeito de Tupã, Manoel Gaspar (PMDB), que alegou politicagem nas denúncias feitas pelos então vereadores José Ricardo Raymundo (PV) e Luis Alves de Souza (PC do B), ao Tribunal de Contas e ao Ministério Público, respectivamente. Para a Comissão de Licitações da prefeitura, Elzio Ribeiro teria participado de licitação como diretor de vendas da Meli Industria de Calçados Ltda, uma fábrica instalada em Buritama, cuja a matriz fica também em Birigui. O secretário de ...

Continue lendo esta notícia
Postado por: jota 0 comentário Categorias: Corrupção
10/06/2017

Com voto decisivo de Gilmar Mendes, TSE rejeita cassação da chapa Dilma Temer

Por 4 votos a 3, TSE - Tribunal Superior Eleitoral rejeita cassação da chapa Dilma-Temer Agência Brasil  O presidente do Tribunal Superior Eleitoral (TSE), ministro Gilmar Mendes, deu o voto de desempate e livrou a chapa formada pela ex-presidente Dilma Rousseff e pelo atual mandatário, Michel Temer, de ser cassada por abuso de poder econômico nas eleições de 2014 nesta sexta-feira (9). Foram 4 votos contra e 3 a favor. Após quatro dias de debates, os ministros da entidade votaram sobre o caso em uma sessão que se estendeu até a noite de sexta-feira. Ao abrir os trabalhos de voto, o relator do caso, ministro Herman Benjamin leu seu parecer e pediu a cassação da chapa por conta das provas apresentadas durante o processo. Ele ainda criticou a decisão tomada na quinta-feira (9), pela maioria dos magistrados, de excluir as delações premiadas do processo. “Meu voto é no sentido da cassação da chapa presidencial eleita em 2014, pelos abusos que foram apurados nesses quatro processos. No final, a prestação de contas é única. E neste caso específico, está comprovado nos autos, as despesas do então candidato a vice-presidente da República foram pagas com recursos do caixa comum da campanha presidencial”, disse Benjamin. Herman Benjamin encerrou sua fala afirmando que não seria “coveiro de prova viva” ...

Continue lendo esta notícia
Postado por: jota 0 comentário Categorias: Corrupção