ANUNCIE AQUI!
01/04/2018

EVANDRO GUSSI: Escorraçado de casa, o parlamentar busca “abrigo” no Ministério de Temer

Ele também pode fazer uso do auxílio moradia no valor de R$ 4.235,00, e ou imóvel funcional. Acusado de infidelidade conjugal, o deputado federal caminha para terminar seu mandato de forma melancólica. Durante sua militância política, legislou em causa própria, e agiu como as velhas “raposas” de Brasília. O deputado federal Evandro Herrera Bertone Gussi (PV-SP), pode assumir o MMA - Ministério do Meio Ambiente do governo de Michel Temer (MDB), após ser escorraçado de sua própria casa, localizada em Tupã, no interior paulista. A influência de grupo conquistada pelo prudentino - radicado em Tupã demonstra muito bem como rapidamente se tornou refém do poder. O imóvel avaliado em mais de R$ 1 milhão, na Vila Inglesa, bairro de classe média alta, pode não ser mais o domicílio do congressista, mas as portas do Palácio do Planalto seguem abertas, com lugar garantido na cabeceira da mesa presidencial, apesar do ambiente também ser palco de grande degradação moral causada pela ganância, corrupção, malversação de dinheiro público, e de infidelidade aos anseios da sociedade brasileira. O LETÍGIO  Já o possível litígio no "palácio" dos Gussi teve início a partir da descoberta de suposta pratica de infidelidade conjugal do parlamentar com uma funcionária ministerial. Segundo interlocutores, agora os dois estariam sob o mesmo teto, protegidos pelo governo que ...

Continue lendo esta notícia
Postado por: jota 0 comentário Categorias: Corrupção
28/03/2018

DÍVIDA ATIVA: Prefeitura penhora caminhão do ex-prefeito Waldemir

Propaganda irregular em emissoras de TV a Cabo originou a dívida com o município, de acordo com o Tribunal de Contas do Estado de São Paulo. Neste mês Waldemir Gonçalves Lopes esteve na Prefeitura reclamando da vida e dos processos que consomem seus bens. O prefeito José Ricardo Raymundo (PV) determinou a execução de uma dívida que o ex-prefeito Waldemir Gonçalves Lopes (PSDB) mantinha com o município, após seu nome ser lançado na Dívida Ativa. Referida dívida é proveniente de determinação imposta pelo TCE-SP - Tribunal de Contas do Estado de São Paulo, referente a um processo interno de 2005, sobre gastos publicitários com TVs a Cabo. Com juros e correção, o valor devido de R$ 21.400,00 atingiu o montante de R$ 46.113,55. O ressarcimento aos cofres públicos foi determinado em 30 de outubro de 2017, pelo secretário de Administração e Finanças, Cláudio Zopolato. CAMINHÃOZINHO 97 Para quem esteve na primeira quinzena de março reclamando sobre o risco de ser preso por improbidade administrativa, e de perder o que conseguiu ao longo da vida, como professor e prefeito de Tupã, Waldemir entregou para ser penhorado um caminhãozinho, VW/14.150, PLACA BJQ-8365, ano 1997, movido a diesel, avaliado em R$ 46.819,00, de acordo com a tabela FIPE, somente o chassi, sendo que o mesmo possui carroceria de ...

Continue lendo esta notícia
Postado por: jota 0 comentário Categorias: Corrupção
19/03/2018

Waldemir admite que pode ir para a cadeia pelos crimes de improbidade

A admissibilidade aconteceu durante visita ao Paço Municipal. Mas, para a ex-secretária Jeane Rosin, se houvesse irregularidades ela e o ex-prefeito já estariam presos.                       O ex-prefeito Waldemir Gonçalves Lopes (PSDB) visitou a prefeitura na semana passada. A “cortesia” teve como pano de fundo rever amigos, funcionários públicos que foram “arrastados” para a pratica da improbidade administrativa durante sua gestão – 2005/2012, e “aconselhar” os atuais administradores sobre o duro ofício de ser prefeito nos dias atuais. “Eu posso ser preso, e perder tudo o que construí durante toda minha vida. O Manoel Gaspar vai no mesmo caminho, e o Ricardo será o próximo”, pontuou. Apesar de reconhecer que pode ser encarcerado após várias condenações, Waldemir não admite que tem culpa no cartório. Ele aponta para a espinhosa missão de ser prefeito. É verdade que não está fácil ser administrador nos dias atuais. Sem dinheiro para nada, a crise econômica e política e as responsabilidades sociais que recaem sobre os “ombros” dos prefeitos inviabilizam realizações do dia a dia. A desconfiança do eleitor com a classe política foi ainda mais potencializada a partir da operação Lava Jato. Mas, Waldemir não passou por todas essas dificuldades nos períodos de 2005/2008 e 2009/2012. Recebeu uma cidade dotada de 95 por cento de infraestrutura – com mais de ...

Continue lendo esta notícia
Postado por: jota 0 comentário Categorias: Corrupção
17/03/2018

PADILHA: Gaspar é condenado à pena de reclusão por pagar banquete a petista

A pena privativa de liberdade foi substituída por duas restritivas de direito consistente em prestação de serviços à comunidade. O juiz Fábio José Vasconcelos da 1ª Vara criminal condenou o ex-prefeito Manoel Ferreira de Souza Gaspar (MDB), por servir um banquete com dinheiro público ao ex-ministro da Saúde, Alexandre Rocha Santos Padilha (PT), durante sua visita a Tupã. O fato ocorreu em 26 de março de 2014, no estabelecimento comercial denominado Água Doce Franchising Tupã LTDA EPP. A visita era meramente de cunho político e eleitoreiro, uma vez que Padilha era candidato petista ao governo do Estado de São Paulo. O evento foi finalizado com um jantar oferecido ao visitante e demais pessoas que participaram do encontro, e as despesas pagas com numerário da prefeitura, no total de R$1.125,40, conforme nota de empenho nº 5551/2014. A DECISÃO O ex-prefeito Manoel Gaspar argumentou que restituiu o prejuízo aos cofres públicos, mas para a Justiça “o pagamento do débito, após a consumação dos fatos, não figura como causa de extinção da punibilidade. Além disso, o que está em disputa é muito mais que apenas o aspecto pecuniário da infração penal. Procura a lei estender sua proteção à regularidade e probidade da Administração”, decidiu o magistrado. HÓSPEDE EXTRAOFICIAL Durante o interrogatório, Gaspar confirmou a recepção e o pagamento do jantar ...

Continue lendo esta notícia
Postado por: jota 0 comentário Categorias: Corrupção
24/02/2018

Político promete renunciar cargo após engravidar assessora

Vice-premier australiano renuncia após caso extraconjugal com colega Barnaby Joyce teve relacionamento com ex-assessora de imprensa, que engravidou CAMBERRA — O vice-premier da Austrália, Barnaby Joyce, anunciou nesta sexta-feira que renunciará ao cargo após o escândalo causado por um romance extraconjugal com uma colega de trabalho, que engravidou. Joyce, de 50 anos, estava sob pressão desde a revelação, há duas semanas, de sua relação com a assistente Vikki Campion, quase 20 anos mais nova que ele, e que agora espera um filho. — Vou renunciar na manhã de segunda-feira, durante a reunião do partido, ao cargo de líder do Partido Nacional e de vice-premier da Austrália — declarou em entrevista coletiva. Ele também é acusado de ter burlados as regras do governo ao nomeá-la para um gabinete ministerial. Barnaby Joyce reconheceu a relação extraconjugal com Campion, sua ex-assessora de imprensa de 33 anos. O escândalo também provocou a separação de Joyce da esposa após 24 anos de casamento. O Partido Nacional é um dos aliados na coalizão de centro-direita que forma o governo do primeiro-ministro Malcolm Turnbull. O vice-primeiro-ministro, permanecerá no parlamento, garantindo a pequena maioria do governo, com apenas um assento a mais que a oposição. A decisão de Joyce veio após um estranhamento com Turnbull, que está nos EUA em encontro com o presidente ...

Continue lendo esta notícia
Postado por: jota 0 comentário Categorias: Corrupção
13/02/2018

Instabilidade: Vereador vai representar Evandro Gussi ao Ministério Público

O parlamentar federal vive inferno astral após evitar por duas vezes que o presidente Temer fosse investigado por corrupção. “Justamente por isso quero, de minha parte, continuar a oferecer o que tenho: um imenso amor pelo Brasil, por sua história e por seu povo”, disse Gussi em resposta as denúncias.                         Se os votos favoráveis ao presidente Michel Temer (PMDB) foram em nome de uma suposta estabilidade econômica e política do país, quem parece se sentir numa carruagem com vidraças laterais, é o próprio deputado federal Evandro Herrera Bertone Gussi (PV). Gussi está literalmente na berlinda e sofre ataques a partir de seu núcleo de oração e eleitoral, mas está longe de ser o bobo da corte ou o bode expiatório. Às vésperas das eleições, uma avalanche de denúncias a partir de suas próprias ações tem desestabilizado a “estrutura familiar” do nobre representante da Alta Paulista. Ao lado de seu criador – deputado estadual Reinaldo de Souza Alguz (PV), Gussi é apontado como integrante de uma “conexão verde” engendrada para abastecer um possível esquema de “caixa de campanha, a partir dos cofres públicos”, acusa o vereador tupãense Paulo Henrique Andrade (PPS). É sustentando essa tese que o edil confirmou domingo (11) que deverá fazer nesta quarta-feira, dia 14, uma representação ao Ministério Público Estadual ...

Continue lendo esta notícia
Postado por: jota 0 comentário Categorias: Corrupção
09/02/2018

CAIXA DE CAMPANHA: Sobre a resposta do Evandro Gussi

Sobre a resposta de Evandro Gussi, o vereador Paulo Henrique Andrade (PPS), ratificou seu raciocínio ao afirmar que "na política, mentirosos e falsos profetas usurpam do poder público para fazer caixa de campanha". Segundo Paulo Henrique Andrade, o nobre deputado afirma que “Pessoas sem cautela e desprovidas de zelo com a verdade passaram a insinuar que haveria alguma ofensa ética no fato de, por um determinado período De fato, as contratações foram públicas e seguiram rigorosamente a lei. Obviamente, ambos cumpriram o que lhes fora proposto para a função”. "Ora nobre deputado, o mais engraçado de tudo, é que você sempre pregou que não gastava dinheiro em suas campanhas, que faria uma política nova e diferente. Olhando os dados, a esposa do deputado foi assessora nos períodos em que o deputado, que na época também era assessor, se ausentava para fazer campanha. Ou seja, para não perder o salário, nomeava sua mulher para lhe substituir. Isso está cheio na política, mentirosos e falsos profetas, que usurpam do poder público para fazer caixa de campanha. Onde está a moralidade? Será que se não fosse esposa dele, outra pessoa com formação em farmácia, seria contratada? Isso nos mostra o quão moral são os deputados Evandro e Reinaldo. Aqui na prefeitura não está diferente". A RESPOSTA Fonte: Ocnet TUPÃ ...

Continue lendo esta notícia
Postado por: jota 0 comentário Categorias: Corrupção
07/02/2018

CONEXÃO VERDE: Pai de Gussi também aparece na folha de pagamento da ALESP

Depois da esposa, agora outro integrante da árvore genealógica do deputado federal Evandro Gussi aparece como funcionário do deputado estadual Reinaldo Alguz. Juntos, pai, filho e nora podem ter custado aos cofres do estado até R$ 3 milhões. O modus operandi é o mesmo. De primeiro de julho de 2010 a 19 de dezembro de 2014, o advogado José Reinaldo Gussi apareceu na folha de pagamento da ALESP – Assembleia Legislativa do Estado de São Paulo. Ele também faz parte da executiva do PV em Dracena. Lotado no gabinete do deputado estadual Reinaldo Alguz (PV) ocupou o mesmo cargo do filho Evandro Gussi e da nora Joice Raquel Ubeda Hadda Gussi. Ora, como assessor especial parlamentar e ou assessor técnico parlamentar. Todos salários que ultrapassam a casa dos R$ 12 mil. A descoberta surgiu durante investigação do blog iniciada há pelo menos 10 dias, para confirmar os dados “vazados” possivelmente pelos próprios integrantes do PV – Partido Verde, ala contrária a ação “paroquial” que originou na silenciosa eleição de dois parlamentares oriundos da Alta Paulista – Reinaldo Alguz e Evandro Gussi. Natural de Tupã, mas residente em Dracena, Alguz carregou o prudentino Gussi, morador em Tupã por todo o estado de São Paulo. A dobradinha/sociedade resultou em 122.900 votos e 109.591, respectivamente para a ...

Continue lendo esta notícia
Postado por: jota 0 comentário Categorias: Corrupção
06/02/2018

“BOLSA FAMÍLIA VERDE”: Patrimônio de Evandro Gussi cresceu mais de 1300%

O patrimônio do deputado federal Evandro Gussi (PV) cresceu vertiginosamente entre 2008 e 2014, quando foi candidato a vereador em Tupã, e eleito deputado federal, respectivamente. Os números foram declarados à Justiça Eleitoral. Parte desse patrimônio veio de dinheiro público, através de cargos ocupados por ele, e sua esposa. O vereador Paulo Henrique Andrade (PPS) fez um gráfico revelando que, o parlamentar e sua mulher acumularam cargos na ALESP - Assembleia Legislativa do Estado de São Paulo, com vencimentos em valores líquido, bruto e com encargos trabalhistas da ordem de R$ 2,1 milhões. No grifo em vermelho verifica-se que no período de 10 meses, ambos chegaram a faturar salários da ordem de R$ 24.980,71. Clique sobre o documento e confira:                                   Quando Evandro Gussi disputou em 2008 uma das cadeiras do Legislativo tupãense declarou possuir cerca de R$ 100 mil em patrimônio. Em 2010, quando disputou a primeira eleição para deputado federal, a declaração importou em pouco mais de R$ 280 mil. Já em 2014, quando foi eleito deputado, sua declaração saltou de R$ 280 mil para R$ 1,5 milhão.  O blog manteve contato através do e-mail - dep.evandrogussi@camara.gov.br, e sua assessoria, mas até o fechamento desta reportagem, às 21 horas, não houve retorno. Eleição  Cargo disputado              Patrimônio (R$) 2008      Vereador (Tupã/SP)       R$ 106.213,58 2010      Deputado Federal (SP)  R$ 283.419,05 2014      Deputado ...

Continue lendo esta notícia
Postado por: jota 0 comentário Categorias: Corrupção
04/02/2018

PROMARKE: Waldemir sofre mais uma condenação por fraude

Por beneficiar o seu marqueteiro vai ter que devolver mais de R$ 500 mil aos cofres públicos. Mais uma vez, levou com ele os integrantes da Comissão de Licitação. Cabe recurso. A agência de publicidade de Presidente Prudente era responsável pela distribuição de propaganda institucional à imprensa. Em sentença proferida na sexta-feira, dia 2, a juíza da 2ª Vara Civil, Danielle Oliveira de Menezes Pinto Rafful Kanawaty condenou o ex-prefeito Waldemir Gonçalves Lopes (PSDB), por improbidade administrativa – fraude em licitação e prejuízo ao erário público. Além dele, também foram sentenciados o ex-secretário de Governo, Adriano Rogério Rigoldi, a empresa prudentina de publicidade Promarke e seu representante Mário Luiz Perretti , e os integrantes da Comissão de Licitação, o advogado Marco Antônio Fernandes (presidente) e os demais funcionários públicos municipais José Rogério da Silva e Kátia Cilene Pires. A PENA A condenação importou na pena de pagamento de multa civil, por múltiplas irregularidades decorrentes de elementos fraudulentos apontados pelo TCE – Tribunal de Contas do Estado e provas, no caso dos réus primários, em uma vez e meia o valor do dano (R$ 271.139,81) – ou seja R$ 406.709,71, e de duas vezes o valor do dano, no caso de WALDEMIR, em razão dos seus maus antecedentes e reincidência ostensiva. Neste caso, o valor da ...

Continue lendo esta notícia
Postado por: jota 0 comentário Categorias: Corrupção