ANUNCIE AQUI!
06/02/2018

“BOLSA FAMÍLIA VERDE”: Patrimônio de Evandro Gussi cresceu mais de 1300%

O patrimônio do deputado federal Evandro Gussi (PV) cresceu vertiginosamente entre 2008 e 2014, quando foi candidato a vereador em Tupã, e eleito deputado federal, respectivamente. Os números foram declarados à Justiça Eleitoral. Parte desse patrimônio veio de dinheiro público, através de cargos ocupados por ele, e sua esposa. O vereador Paulo Henrique Andrade (PPS) fez um gráfico revelando que, o parlamentar e sua mulher acumularam cargos na ALESP - Assembleia Legislativa do Estado de São Paulo, com vencimentos em valores líquido, bruto e com encargos trabalhistas da ordem de R$ 2,1 milhões. No grifo em vermelho verifica-se que no período de 10 meses, ambos chegaram a faturar salários da ordem de R$ 24.980,71. Clique sobre o documento e confira:                                   Quando Evandro Gussi disputou em 2008 uma das cadeiras do Legislativo tupãense declarou possuir cerca de R$ 100 mil em patrimônio. Em 2010, quando disputou a primeira eleição para deputado federal, a declaração importou em pouco mais de R$ 280 mil. Já em 2014, quando foi eleito deputado, sua declaração saltou de R$ 280 mil para R$ 1,5 milhão.  O blog manteve contato através do e-mail - dep.evandrogussi@camara.gov.br, e sua assessoria, mas até o fechamento desta reportagem, às 21 horas, não houve retorno. Eleição  Cargo disputado              Patrimônio (R$) 2008      Vereador (Tupã/SP)       R$ 106.213,58 2010      Deputado Federal (SP)  R$ 283.419,05 2014      Deputado ...

Continue lendo esta notícia
Postado por: jota 0 comentário Categorias: Política
14/04/2017

MPF vai investigar o uso da Bíblia durante as sessões da Câmara de Tupã

A iniciativa foi de um estudante que questiona favorecimento ao cristianismo. O presidente da Câmara, Valter Moreno Panhossi defende a leitura da Bíblia durante as sessões. O procurador da República em Marília, Diego Fajardo Maranha Leão de Souza, já recebeu as justificativas do presidente da Câmara de Tupã, Valter Moreno Panhossi (DEM), sobre o cumprimento do Regimento Interno do Legislativo que determina a leitura da Bíblia Sagrada durante as sessões camarárias. A partir da manifestação do vereador, o Ministério Público Federal vai instruir os autos sobre a notícia de fato cadastrado em 20 de março de 2017. A manifestação foi realizada na Sala de Atendimento ao Cidadão da Procuradoria da República pelo estudante Ricardo Amado Schell Ribas Silveira Alves, 23 anos. De acordo com o estudante o Regimento Interno da Câmara de Tupã apresenta flagrante inconstitucionalidade no texto. “Como é sabido, o Estado brasileiro é laico, de modo que qualquer forma de favorecimento ou desfavorecimento de determina religião configura afronta à Constituição Federal. No Regimento Interno da Câmara Municipal, porém, é notória a opção do legislador de favorecer as religiões cristãs”, questionou, Alves. Para garantir a laicidade do Estado brasileiro, o estudante solicita à instituição que seja proposta Ação Direta de Inconstitucionalidade contra a referida norma da Câmara de Tupã que invoca a proteção do ...

Continue lendo esta notícia
Postado por: jota 0 comentário Categorias: Política